Mostre para seus amigos

Conte para seus amigos sobre o Blog do Cabra, e curtam nossa página no Facebook!!!

Actio Consultoria e Treinamento

A ACTIO é uma consultoria empresarial que transforma grandes idéias em realidade e desenvolve projetos de acordo com as necessidades de seus clientes, traduzidos em inovação, desenvolvimento, e melhoria nos resultados da organização.

O Blog do Cabra recomenda

Ações de Motivação Dos Funcionários Necessitam de Equipe e Líder Maduros, continue lendo no Blog Administrando Você.

Destaque do Blog do Cabra

Muitos gostaram deste assunto, um assunto bastante procurado e mereceu destaque.

A disposição de todos

Nossos colunistas estão a disposição de todos para tirar dúvidas e sugestões, deseja ler sobre um assunto? Fale para nossos colunistas.

Série SEU NEGÓCIO - Como Escolher o Ponto Ideal Para Abrir Uma Franquia?

Além da localização por si só, é importante também analisar o perfil do seu público e se ele frequenta o local no qual você pretende estabelecer um negócio

Por Redação, 

As franquias imobiliárias estão crescendo cada vez mais no Brasil. Segundo o balanço anual divulgado recentemente da ABF (Associação Brasileira de Franchising), o setor de franquias cresceu 11,9% em 2013, atingindo o faturamento de R$ 115 bilhões em 2013. No segmento de Casa e Construção, no qual se encontram as franquias imobiliárias, a expansão foi de 13,4%.

No entanto, escolher o ponto certo para abrir uma franquia não é uma tarefa fácil, pois há a necessidade de uma grande pesquisa de mercado da região a ser escolhida. "O ponto certo é aquele que conseguirá atrair a quantidade de pessoas e dar visibilidade de marca e produtos suficientes para o negócio ser bem sucedido. No entanto, há aspectos que precisam ser avaliados criteriosamente", afirma Paulo Jorge Fernandes, CEO da Coldwell Banker do Brasil, líder mundial no setor de franquias imobiliárias.

Segundo ele, a localização é um fator importante, mas não é o único. O possível franqueado também precisa analisar o perfil do seu público, renda, classe social e o que eles costumam comprar.

Para Fernandes, é importante a pessoa procurar saber qual é o fluxo de pessoas na região escolhida e fazer visitas no ponto em horários diferentes. "Explorar a região e checar a concorrência também é um item que deve ser criteriosamente pesquisado, pois se tiver outra franquia com competitividade em preços ou que oferece mais serviços que a rede que o franqueado for abrir isso pode ser um problema muito grande".

Ainda segundo o especialista o franqueador deve passar toda a orientação para a escolha do ponto ideal. "Faz parte do sistema de franquia fornecer essas orientações para o franqueado antes de abrir o negócio. Muitos franqueadores, inclusive, aprovam o ponto antes", finaliza.


Fonte da imagem: Clique aqui

5 Dicas Para Negociar o Aumento de Salário ou Promoção

"O caminho mais seguro para você ganhar mais ou ser promovido é se destacar em seu ramo de atividade"

Por Redação, 

Você já se perguntou se o que recebe é proporcional ao trabalho que desempenha? Diariamente, milhares de pessoas se questionam quanto à remuneração e quase todo mundo gostaria de ganhar mais ou ser promovido. Mas será que existe algum atalho para aumentar seus ganhos ou obter mais reconhecimento?
Segundo o consultor em gestão de pessoas, Eduardo Ferraz, a análise é simples: “O caminho mais seguro para você ganhar mais ou ser promovido é se destacar em seu ramo de atividade. Não existe milagre, mas há maneiras de acelerar o processo.”

Abaixo, o consultor elaborou algumas dicas para auxiliar os profissionais a se destacarem e com isso ter muito mais facilidade em qualquer negociação:

1 - Autoconhecimento

Conhecer melhor suas potencialidades para, sempre que possível, usá-las a seu favor, é fundamental. O profissional que não se conhece bem, não tem convicções quanto às suas principais habilidades, e vai se sentir inseguro para negociar um melhor salário, uma promoção ou novas oportunidades de negócio. Já a pessoa com bom autoconhecimento, segundo ele, tem o discernimento de negociar as melhores opções para cada tipo de situação.

2 - Apareça

Não perca oportunidades de mostrar seus principais diferenciais e seus principais feitos. Se você implantou projetos de sucesso, cooperou com a rentabilidade da empresa ou conseguiu montar uma boa equipe, use isso a seu favor. Números e informações objetivas serão sempre bem-vindos na hora de negociar. Apresente análises, dê sugestões, faça apresentações curtas, opine em reuniões. Quem não é visto não é lembrado.

3 - Aguarde o melhor momento

É preciso analisar o contexto e a personalidade do seu interlocutor antes de fazer seu pedido. Se a empresa estiver em um momento favorável e seu superior estiver receptivo para ouvir o que você tem a dizer, aproveite a oportunidade e diga os motivos pelos quais você merece um aumento.

4 - Colabore

Procure ajudar os colegas, subordinados e até outros departamentos a resolver problemas. Além disso, fique longe das fofocas. Toda empresa tem os grupos de excelência e incompetência e todo mundo sabe quem são. Aproxime-se e conviva com os melhores.

5 - Mantenha o equilíbrio

É essencial ter estabilidade emocional para enfrentar situações difíceis sem demonstrar medo ou ansiedade exagerada. Por mais inteligente e preparado que o profissional possa ser, muitas vezes ele se descontrola emocionalmente. Neste sentido, ter consciência de seus próprios sentimentos, conhecer suas limitações, seus talentos e, acima de tudo, sentir orgulho de si, fará uma enorme diferença e o deixará mais preparado para enfrentar os desafios de uma negociação, seja ela qual for.


Fonte da imagem: Clique aqui

10 Citações Que Vão Ajudar a Lidar Com as Críticas

Está precisando de um remédio para lidar com as críticas? Aqui temos 10 citações de grandes nomes que podem ajudar

Por André Bartholomeu Fernandes

No nosso mundo sempre conectado e facilmente acessível de hoje, o velho ditado “todo mundo é um crítico” nunca soou tão verdadeiro.

Mas isso não deve ser uma razão para você fugir. Lembre-se, qualquer coisa que vale a pena fazer vai levar um pouco de crítica. Para alcançar a grandiosidade, você precisa estar preparado para enfrentar a crítica.

A próxima vez que você estiver sentido a pressão por conta das críticas, mantenha essas 10 citações em mente:

“Você tem inimigos? Boa. Isso significa que você se levantou para alguma coisa, em algum momento de sua vida” – Winston Chuchill.

“Para evitar críticas, não diga nada, não faça nada, não seja nada” – Aristóteles.

“Nunca me deixe cair no erro vulgar de sonhar que estou sendo perseguido sempre que sou contrariado” – Ralph Waldo Emerson.

“Um treinador é alguém que pode dar a correção sem causar ressentimento” – John Wooden.

“Não se deve criticar as outras pessoas por serem fiéis a si mesmas”- Mark Twain.

“Não se distraia com as críticas. Lembre-se: o único sabor do sucesso que algumas pessoas têm é quando eles tiram um pedaço de você” – Zig Ziglar.

“A maioria das pessoas foram doutrinadas para acreditarem que seu trabalho é copiar o mundo, não projetá-lo” – Seth Godin.

“Qualquer tolo pode criticar, condenar e reclamar – e a maioria deles fazem isso” – Dale Carnegie.

“É uma coisa sem grande dificuldade para levantar objeções contra o discurso de um homem – ou mehor, é muito fácil; mas produzir um discurso melhor em seu lugar é um trabalho extremamente problemático” – Plutarco.

“Quando os homens falam mal de ti, viva de modo que ninguém possa acreditar neles” – Platão.


Fonte da imagem: Clique aqui

Preferência do Brasileiro: Carreira ou Bem-estar?

Autor: Nathaly Bispo

É sabido que o povo brasileiro é bastante conhecido por sua alegria, pelo otimismo, por construir sua vida com muito trabalho e não desistir facilmente de seus objetivos, e essas características refletem também na forma como os brasileiros veem as oportunidades e como lidam com a ascensão de carreira.

Um apontamento realizado pelo Ibope Inteligência para a consultoria Stanton Chase International, revelou que o trabalhador brasileiro valoriza mais o bem-estar no ambiente do trabalho do que as perspectivas de crescimento da carreira e o próprio salário. A pesquisa comparou o comportamento do profissional brasileiro com o de outros países da América Latina.

“Basicamente, o que ela diz é que o trabalhador brasileiro coloca em primeiro lugar na hora de decidir por uma oportunidade de emprego, ou mesmo pela permanência numa empresa, o bem-estar no ambiente de trabalho. Esse bem-estar significa fazer o que gosta, saber muito bem o que o cargo exigirá dele e ter uma boa relação com os superiores. Os chefes centralizadores e que tomam decisões sem explicações, não são aceitos”, enfatiza a consultora Andrea Sobben, que analisou a pesquisa.

Entretanto, o estudo é cheio de paradoxos. Ao mesmo tempo em que ele diz que o brasileiro coloca a remuneração em terceiro lugar no ranking de importância na hora de escolher um emprego ou permanecer na empresa, também afirma que esse mesmo trabalhador não aceita trabalhar horas extras sem remuneração.

“A razão das possíveis distorções da pesquisa é que ela ouviu principalmente trabalhadores mais jovens. 43% dos entrevistados estão na faixa até 24 anos, que ainda não atingiram a maturidade profissional”, observa Andrea.

Outro dado importante é que 22% dos profissionais na faixa de 25 a 29 anos já estão ocupando cargos gerenciais com apenas 5 anos de atuação no mercado. Esse dado também reflete a realidade do mercado de trabalho brasileiro, que cresce além da oferta de mão-de-obra e que demonstra despreparo na formação de líderes.

Será que esses novos gerentes estão realmente preparados para assumir suas responsabilidades?

“Não falamos realmente o que pensamos. As variáveis que determinam as respostas são inúmeras e os resultados jamais podem ser generalizados”, finaliza a consultora.


Fonte da imagem: Clique aqui

As Mentalidades Que Você Precisa Mudar Para Passar de Empregado a Empreendedor

Você está pronto para empreender? Nós fizemos uma lista do que você precisa para se transformar em um empreendedor de verdade. Faça o teste

Por André Bartholomeu Fernandes 

A mentalidade é, provavelmente, o principal determinante de sucesso em praticamente todos os caminhos da vida. 

Em outras palavras, os padrões de pensamento que você habitualmente adota governam em grande parte os resultados que você conquista.

Mas diferentes circunstâncias e situações requerem diferentes mentalidades, algo que quem quer deixar o emprego remunerado e lutar por conta própria, deve estar ciente.

Infelizmente, nem todos os candidatos a empreendedores compreendem as mudanças de mentalidade dramáticas e necessárias, sem as quais o sucesso do negócio é improvável.

Assim de que forma, como funcionário, você vai ter que pensar de forma diferente para ter sucesso?

1. Você é responsável por todas as decisões – boas e ruins

Os empreendedores têm uma incrível oportunidade de criar algo a partir do nada, de forma que não é possível trabalhar para mais ninguém.

Mas isso significa tomar grandes decisões sobre o que deve ser feito, quando e como. Você não pode esperar que as coisas aconteçam, ou que alguém diga o que tem que fazer. Você deve fazer acontecer.Os empreendedores bem sucedidos também entendem que as oportunidades podem ser de curta duração e, assim desenvolvem um senso de urgência que os ajuda a alcançar seus objetivos.

2. Você precisa segurar visões de curto e longo prazo ao mesmo tempo

Trabalhe para os outros e você será o principal responsável por garantir que o que precisa ser feito agora, estará feito.

Como empreendedor, você tem que projetar sua mente para frente, pensando nas possíveis armadilhas e oportunidades que estão ao virar da esquina e, tomar decisões baseadas em incertezas.
Isso requer que você entre em acordo com o fato de que o que você faz, ou não faz, hoje, terá um impacto sobre o seu negócio daqui a 3 meses até 5 anos.

3. Sentir-se desconfortável é a sua nova “zona de conforto”

Como funcionário, você está acostumado a pensar mais “dentro da caixa” do que fora dela. Como um empreendedor, não há nenhuma caixa.

Você vê o que os outros não fazem, testa novas ideias, domina um novo território, assume riscos. Isso exige coragem, força e capacidade para continuar apesar da rejeição e do ceticismo.

4. Aprender é uma jornada contínua

Como funcionário, você tem uma descrição do trabalho, que exige um conjunto de habilidades específicas.

Ser um empreendedor envolve aprender muitas novas habilidades, a menos que você tenha fundos para terceirizar o trabalho chato, ou que não quer fazer.
Isso pode acontecer ao aprender a montar uma planilha, pedir conselhos a investidores, vender suas ideias, ou usando alguma tecnologia desconhecida. O que precisa ser feito, tem que ser feito – não há espaço para desculpas.

5. Números não mentem

Quando os números estão em pauta, o máximo para a maioria dos funcionários é saber o que está entrando e o que está saindo. Como empreendedor, é melhor que você aprenda a amar números rapidamente, porque seu fluxo de caixa é o que vai mantê-lo.

Em última análise, são suas vendas, custos, lucros e perdas que lhe darão noites sem dormir ou um estilo de vida invejável. Mas, sem a luz que guia os números, a sua empresa continuamente irá se destruir.

6. Ame o seu negócio, mas seja objetivo

Como funcionário, você pode fazer algo que você não gosta apenas pelo salário.

Como um empreendedor, você precisa amar o seu negócio por conta do esforço e das longas horas necessárias.

Mas você não deve cair na armadilha de pensar e de agir como um empregado em sua própria empresa.

7. Quebre as regras

Como funcionário, quebrar as regras pode significar demissão. Os empreendedores, por outro lado, não estão interessados ​​no status quo – eles estão sempre procurando maneiras de fazer as coisas de forma diferente.

Isso significa sempre espiar por cima do horizonte, ou pelo menos além dele, para onde a próxima grande coisa está esperando.

8. O tempo não é linear

Como funcionário, você tem um calendário de trabalho.

Como um empreendedor, quando você não pode estar preso a uma mesa ou computador 24×7, mas mesmo assim você vai sempre vai estar pensando sobre o seu negócio, o que está fazendo bem e o que poderia estar fazendo melhor.

Não haverá trégua – você vai viver e respirar isso.

9. Comece agora

A maioria das pessoas estima pouco o tempo que se leva para fazer a transição para empreendedor, por isso, é sensato começar a mudar a sua mentalidade, enquanto você ainda é funcionário, talvez até mesmo montar um negócio paralelamente.

Isso pode lhe dar a oportunidade de desenvolver habilidades e construir a experiência tendo a segurança de um salário, algo que em algum momento você vai precisar certamente desistir se você quiser fazer seu negócio crescer.


Fonte da imagem: Clique aqui

10 Ações Diárias Que te Deixarão Mais Inteligente

Pequenas coisas que você pode fazer durante o dia, desde escrever a se cercar de amigos inteligentes, podem contribuir

Por Redação

Não são só os genes e a escola que formam sua inteligência. A forma como você leva a vida e as informações que chegam ao seu cérebro também contribuem para seu potencial mental. Pensando nisso, o site Business Insider preparou uma lista de 10 pequenas ações que podem ser tomadas no seu dia a dia e que farão diferença. Confira abaixo:

1. Aproveite melhor seu tempo online

Checar as redes sociais, acompanhar sites de entretenimento e ver vídeos engraçados no Youtube são formas legais de se passar o tempo na internet, é verdade. Mas nem todo o seu tempo livre precisa ser gasto assim. Troque o vídeo viral do dia por alguns minutos consumindo algo mais nutritivo para sua mente. Cursos e palestras online (nosso ADM Talks tem maravilhas!), por exemplo, são boas opções.

2. Escreva o que você aprende

Não precisa ser algo longo ou elaborado, mas reserve um tempo para refletir e escrever sobre o que você aprendeu durante o dia. Pesquisadores recomendam a prática para aumentar sua capacidade intelectual.

3. Faça uma lista de coisas feitas

Em vez de fazer uma lista de coisas que você precisa fazer, escreva o que você já fez. Confiança e felicidade estão diretamente relacionadas à inteligência, e lembrar todas as coisas que você já conseguiu lhe deixará satisfeito.

4. Pegue seu jogo de tabuleiro

Jogos de tabuleiro e quebra-cabeças são divertidos e também ajudam a exercitar o cérebro. Jogue Batalha Naval, xadrez, jogos de cartas e faça palavras-cruzadas sem dicas ou ajuda de outras pessoas.

5. Tenha amigos inteligentes

Seu QI é a média do QI das cinco pessoas mais próximas a você. Isso significa que você deve se cercar de pessoas inteligentes. Pode até ser meio difícil para sua autoestima, mas ser amigo de pessoas mais inteligentes que você é uma das formas mais rápidas de se aprender.

6. Leia bastante

Todos sabem, mas não custa repetir: leitura é essencial. Não há um consenso sobre qual o melhor tipo de leitura, pode ser o hábito de ler jornais todos os dias ou ler uma variedade de ficções e não-ficções, mas todos concordam que a quantidade é importante. Apenas leia.

7. Explique para os outros

˜Se você não consegue explicar algo de modo simples é porque não entendeu bem a coisa", afirmou Einstein. E ele está certo. A melhor maneira de saber se você realmente aprendeu algo é tentando explicar. Tente sempre explicar aos outros coisas que você aprendeu. Adquirir novos conhecimentos é fácil, difícil é mantê-los. Ao explicar, sua mente realmente retem as informações.

8. Faça coisas novas inesperadas

Depois de largar a escola, Steve Jobs resolveu fazer um curso de caligrafia. Parecia irrelevante na época, mas as lições de design que teve acabaram lhe servindo para criar os primeiros Macs. A lição: você nunca sabe o que será útil no futuro. Tente coisas novas, sem saber realmente como lhe servirão. No futuro, coisas que antes eram aleatórias podem se ligar e se tornar experiências importantes.

9. Aprenda um novo idioma

Você não precisa virar fluente ou correr para outro país para aprender um novo idioma. Estude no conforto de sua casa, nos diversos cursos online que podem ser encontrados na internet, e ainda colha os diversos benefícios para sua mente.

10. Descanse um pouco

É muito importante tomar um tempo para deixar sua mente livre de qualquer estimulação. Dê espaço para que ela processe tudo que aprendeu. Sente em silêncio, exercite-se, passe algum tempo apenas pensando.


Fonte da imagem: Clique aqui

10 Conselhos Contraditórios Que Podem Fazer Todo Sentido

São ideias, pensamentos, propostas de empreendedores famosos que, à primeira vista, soam estranhas. Na prática, no entanto, você vai ver que podem ajudar bastante

Nós todos amamos receber conselhos de quem já enfrentou situações parecidas com as nossas ou que percorreu os mesmos caminhos. Para empreendedores, isso é, particularmente, mais útil, já que esse é um caminho árduo e desconhecido. Ironicamente, no entanto, alguns conselhos que leio em artigos de empreendedores famosos são contraditórios e fora do que esperamos ouvir deles. Eu pensei, então, que seria interessante reunir alguns desses conselhos em um lugar. Por isso, deixo aqui os dez conselhos mais contraditórios que já ouvi desse pessoal. Acreditem: eles podem fazer todo sentido.
Paul Graham: Não pense grande

"Empiricamente, o caminho para realizar grandes coisas parece ser começar com as pequenas" 

O conselho de Paul Graham me surpreendeu no início, mas faz bastante sentido. Nenhuma grandeza é alcançada sem muitos pequenos passos para se chegar lá, e é quase uma certeza que esses pequenos passos podem mudar sua direção em algum momento. 

"Empiricamente, não são apenas os outros que precisam começar de baixo. Você também, para o seu próprio bem"

Graham aponta que grandes empresas como o Facebook e a Apple tiveram um começo humilde. É difícil argumentar com essa lógica.

"Eu acho que a maneira de usar essas grandes ideias não é tentando identificar um ponto específico no futuro e então se perguntar como seguir a partir dali, como na imagem popular do visionário.

Você se sairá melhor se fizer como Colombo e apenas seguir na direção oeste. Não tente fazer do seu futuro uma construção, porque o seu projeto atual provavelmente contém erros. Comece com algo que você sabe que funcionará. Daí, quando resolver expandir, expanda em direção oeste"
Leo Babauta: Não defina objetivos

"Esses dias eu vivo sem objetivos, na maior parte. É absolutamente libertador e, ao contrário do que você foi ensinado, não significa que você parou de alcançar as coisas. Significa que você parou de se limitar por metas"

O estabelecimento de metas é uma prática difícil de se discutir, especialmente com aqueles que se focam demais em produtividade. Está enraizado em nós. Leo aconselha que nós paremos de estabelecer metas para vivermos sem a frustração e arrependimento de perseguir objetivos e nunca atingi-los.

"Se você vive sem objetivos, você vai explorar um novo território. Você aprenderá coisas inesperadas. Você vai terminar em lugares surpreendentes. Essa é a beleza dessa filosofia, mas é uma transição difícil"

Pode soar como um caminho para "não fazer nada", mas Leo diz que ainda se sente produtivo, mesmo sem objetivos.

"O que você faz, então? Deita no sofá o dia todo, dorme e assiste televisão? Não, você simplesmente faz. Você encontra algo apaixonante e faz. Não é por que você não tem objetivos que você não vai fazer nada - você pode criar, produzir, seguir sua paixão"
Dave Goldberg: Saia do escritório às 17h30

O CEO da SurveyMonkey mostra que é possível sair do escritório às 17h30 e ainda assim construir um negócio de um bilhão de dólares.

Goldberg deixa o trabalho às 17:30 todos os dias para se dedicar à família. Após colocar os filhos para dormir, ele volta ao trabalho pelo computador. É um exemplo de como a empresa pode construir e manter sua força de trabalho. Um CEO que passa um tempo com a família todo dia demonstra aos outros funcionários que têm família que eles podem ir para casa jantar e ter uma vida fora do escritório.

Goldberg percebeu como é importante ter uma cultura na companhia que balanceia a vida e o trabalho. Ele quer contratar e manter os bons funcionários.

No início de seu trabalho, ele colocou a cultura em ação, recrutando a atual vice-presidente sênior de Produtos e Engenharia, Selina Tobaccowala, quando ela estava grávida de quatro meses. Fazer da SurveyMonkey um lugar onde é possível ter uma vida familiar tornou Goldberg um recrutador disputado no mercado.
Elon Musk: Busque o feedback negativo

Ele experimentou uma mídia negativa no passado, mas ele diz que pode ser bastante útil: sempre busque o feedback negativo, mesmo que ele seja mentalmente doloroso. Seu conselho é que as pessoas prestem atenção ao feedback negativo e construtivo, mesmo que você prefira ignorá-lo.
De fato, Musk defende que as pessoas peçam feedback negativo dos outros:

"Não me diga o que você gostou, me diga o que você não gostou".

Dharmesh Shah concorda com Musk, dizendo que você deve buscar um feedback negativo para testar sua ideia e vontade de seguir:

"Procure o maior número de críticas do seu plano que você conseguir. É natural que um empreendedor se apaixone por seu projeto e peça apoio a amigos e colegas. Afinal, quem quer ter uma ideia esmagada por pessimistas? Mas esses são os tipos que você deve buscar. Faça com que eles retalhem o seu plano do começo ao fim. Se você concorda com eles ou tiver dúvidas, essa é a hora de revê-lo. Mas se você conseguir defender com convicção, repetitivamente, então seu projeto pode dar certo."
Jeff Bezos: Mude de ideia, bastante

Quando Jeff Bezos visitou os 37 escritórios do Signals, ele dividiu esse conselho contraditório com Jason Fried:

"As pessoas que estão certas, na maioria das vezes, são aquelas que mudam de ideia com mais frequência. Ele não considera o pensamento consistente uma característica particularmente positiva. É saudável - e incentivado - ter uma ideia amanhã que seja contraditória à sua ideia de hoje."

Isto é uma surpresa para mim, mas eu fiquei feliz em ouvir! Muitas vezes insistir no plano original é um sinal de dedicação e perseverança, mas Bezos mostra como é importante se abrir para novas ideias. Segundo ele, as pessoas mais inteligentes são aquelas que estão sempre revisando seu conhecimento, reconsiderando um problema que eles achavam que já estava resolvido. Eles estão abertos a novos pontos de vista, novas informações, novas ideias, contradições e desafios no modo de pensar.

Isso não significa que você não deve ter um ponto de vista bem formado, mas significa que você deve considerar sua opinião temporária.
Tim Ferriss: Não "vá com tudo" nos negócios

Se você já sentiu vontade de começar seu próprio negócio como um projeto paralelo, você vai amar esse conselho. Eu me senti aliviada ao ler o conselho de Tim Ferris para manter uma renda segura enquanto estiver construindo um negócio:

"Tudo pode ser feito com um emprego integral e eu não incentivo que as pessoas cortem todas as amarras e percam uma renda fixa para se focar em um negócio. Você não tem que dar esse salto"

Daniel Blumenthal, do TripAdvisor, concorda com Tim, e diz que embora aprender com o trabalho dos outros antes de fundar sua própria companhia não seja a abordagem mais popular, ainda é a melhor.

"Trabalhe em uma grande companhia para aprender como escalar. Trabalhe em uma startup para ver como funciona o jogo. Pague as dívidas estudantis. Pelo amor de Deus, termine os estudos. Então, arrisque-se"
Nate Kontny: Permaneça no escritório

Você provavelmente ouviu falar como é importante que os empreendedores "saiam do escritório" quando estiverem começando uma companhia. O objetivo é conversar com os consumidores, descobrir como resolver seus problemas e construir um produto que eles realmente desejam. 
Nate Kontny tem, porém, uma ideia bem diferente sobre como construir um bom produto:

"Se você quiser criar algo que realmente faça a diferença no universo, você precisa conhecer o problema com profundidade. Construir algo para outras pessoas é difícil. Inovações como o swiffer (uma espécie de rodo com uma bolsa d'água acoplada) exigiram da Procter and Gamble (P&G) um longo período de pesquisas, para as quais eles contratam uma equipe de etnógrafos para estudar os consumidores. Você realmente acredita que é possível entender como os negócios de outra pessoa funcionam durante um café? Eu não"

Nate diz que observar seus próprios hábitos e problemas é a melhor maneira de começar. Está a procura de inspiração? Veja a fatura do seu cartão de crédito. Cada item representa algum trabalho ou problema tão importante que fez com que você gastasse seu dinheiro. Essa é uma ótima lista de tarefas que você tem na vida. Analise todos as etapas envolvidas. Qual você poderia tornar mais simples?
Reid Hoffman: Tenha vergonha da sua primeira versão

O fundador do LinkedIn, Reid Hoffman, luta contra o perfeccionismo e a ideia de que o lançamento do seu produto deve ser uma "versão final".

"Essa ideia enfatiza o tempo. Entrar e sair do mercado, aprender e se mover são mais importantes que a satisfação de ego. Que dizer 'Oh, eu quero fazer tudo escondido e depois baixar as cortinas, para as pessoas verem como eu sou um gênio, por que esse produto é tão maravilho'. Essa estratégia raramente funciona. A estratégia vencedora é aquela que diz "Eu estou me mexendo. Estou do lado de fora e me adaptando rapidamente"

Hoffman diz que nós devemos nos focar em reduzir o tempo para a obtenção de feedback dos usuários para que possamos começar a interagir com o verdadeiro usuário:

"...A chave para diminuir o tempo e se lançar no mercado eu aprendi com o SocialNet e PayPal. Em vez de esperar pelo produto perfeito, você realmente deve lançar um produto que seja apenas viável, o produto mais simples, e então você interage para pode desenvolver"
Chris Guillebeau: Ofereça a garantia mais forte que você puder

O viajante (literalmente - ele já visitou praticamente todos os países no mundo) não aconselha brincar de seguro quando se trata de garantias para os consumidores.

"Ofereça a melhor, mais forte, garantia possível e pare de se preocupar. As pessoas vão confiar mais em seu negócio"

Isso pode soar uma loucura para um negócio pequeno e novo, principalmente quando você ainda está inseguro sobre quanto tempo sobreviverá ou se crescerá, mas Chris acredita que oferecer aos clientes garantias fortes vale a pena.

"Algumas pessoas perguntam: com uma garantia tão generosa, qual a taxa de restituição que você terá que fazer? Resposta: menos de 1%. Mas as pessoas não tiram vantagens de você? Resposta: a maioria das pessoas é honesta. Então, por que se preocupar com as desonestas? A vida é muito curta."
Richard Branson: Siga a sua intuição

Ele tem certeza de que a intuição é o melhor indicativo de que uma ideia que vale a pena:
"Eu nunca converso com contadores antes de iniciar um negócio. É pura intuição..."
Não é convencional defender a mistura entre emoções e negócios, mas eu adoro a maneira com que Branson faz isso:

"Alimente suas emoções no trabalho. Seus instintos e emoções estão aí para ajudar. Eles existem para facilitar as coisas. Na minha opinião, negócios fazem parte da intuição, e se um dia deixar de ser assim, eu desistiria amanhã"

Branson tem a certeza de que diversão é importante nos negócios, e que criar coisas com que ele se importa é mais importante do que investir em algo que os contadores acreditam ser viável. 
Como todos os conselhos para startups, contraintuitivos ou não, muitas dessas dicas parecem erradas para você e sua empresa. Ou talvez sejam tudo que você precisava ouvir. Às vezes é fácil ser pego imaginando o que "deveria" estar fazendo e esquecemos que existem outros que foram pela contramão e que funcionou para eles.


Fonte da imagem: Clique aqui

Quando e Por Que Recorrer ao Coaching?

Business coach Dirlene Costa aconselha quando buscar aconselhamento para desenvolver a carreira

Por Adeline Daniele

Uma nova vaga na gerência será aberta na firma e você não sabe o que fazer para se destacar e conquistar a promoção. Enquanto isso, um grande projeto precisa gerar bons resultados sob sua responsabilidade na companhia. Você também percebeu que precisa desenvolver novas habilidades, já que gostaria de ser um gestor e ainda não sabe coordenar uma equipe.

Em algum momento da carreira você ficará diante de pelo menos um dos cenários citados acima. E é por motivos bem parecidos com esses que muitos profissionais recorrem ao coaching.

O processo de coaching consiste em explorar as competências do profissional para que ele alcance um determinado resultado e desenvolva suas capacidades para resolver problemas.

E quem pensava que esse tipo de orientação é indicado apenas para altos níveis de cargos corporativos está muito enganado: desde adolescentes e jovens em formação até gestores e empreendedores podem se tornar coachees. Até mesmo algumas seleções da Copa do Mundo tiveram orientação para obter melhor desempenho durante as partidas.

Mas, será que vale mesmo a pena investir em um programa de coaching? Para te ajudar nessa decisão, a business coach Dirlene Costa – que já trabalhou em ambiente corporativo – explica a INFO como esse processo pode ajudar o profissional e dá exemplos sobre quais situações em que esse tipo de orientação é mais recomendado. Confira a entrevista:

Como é o trabalho de um coach?

O coaching é um programa para quem quer fazer um plano de carreira. O trabalho de um coach basicamente leva a pessoa do ponto A para o ponto B.

No processo de coaching nós analisamos aonde esse profissional quer chegar e trabalhamos com ele para avaliar seus valores, competências e habilidades.

Nossa intenção é fazer com que a pessoa passe a enxergar cada desafio como uma oportunidade e transforme problemas em soluções. Para isso, nós a ajudamos a potencializar seu talento, lapidando suas fraquezas e ampliando sua visão estratégica.

Quais as técnicas utilizadas por um coach para orientar profissionais?

Um profissional de coach usa técnicas e ferramentas já testadas e certificadas por institutos internacionais de coaching. Elas vão desde a parte comportamental até formações específicas para o executivo.

Além dessas ferramentas, um coach precisa conhecer muito o mercado corporativo.

Algo que faz com que eu ajude melhor os meus clientes é o fato de eu também ter vivenciado essa experiência durante muitos anos. Com isso, nós podemos ajudar o profissional a encurtar caminhos em sua trajetória.

O coaching é um trabalho em quatro mãos. Nós não paramos apenas para ouvir o coachee. Nós passamos tarefas em todas as sessões, aplicamos as técnicas necessárias para aquele resultado e sempre fazemos muitas perguntas.

Afinal, nós partimos do princípio que as respostas estão dentro de cada um. A gente motiva o cliente a criar soluções e respostas. Aí sim ele aprende e passa a agir diferente.

Qual o perfil do profissional que contrata um coach?

A grande maioria das pessoas que procuram um coach são funcionários corporativos. Geralmente esses profissionais sabem onde querem chegar, mas não têm foco e disciplina para alcançar um objetivo.

Uma pessoa que consulta um coach quer ir além de onde ela está. São profissionais mais ambiciosos, que não se acomodam em suas posições, e buscam uma trajetória mais bem sucedida. Mas também há programas de coaching para microempreendedores e executivos de alto nível.

Quais motivos levam o profissional a recorrer ao coaching?

O profissional recorre ao coach quando ele percebe que algo não está saindo como ele quer ou quando ele se sente perdido em um determinado momento da carreira. Geralmente ele quer melhorar seus resultados, sua equipe, e ser reconhecido na companhia para conquistar uma promoção.

Para você, qual seria a maior necessidade de um profissional de tecnologia ao contratar um orientador?

O profissional de TI é muito voltado para o técnico, e o mundo corporativo não quer apenas um funcionário com habilidades técnicas, ele também quer habilidades comportamentais. O que eu vivenciei muito quando fui executiva é que existiam muitos excelentes técnicos analistas, porém, ao serem promovidos para um cargo de gestão eles não davam conta de gerenciar uma equipe.

Isso mostra que ter boa técnica não significa ser um bom gestor ou saber lidar com pessoas e, talvez, trabalhar a parte comportamental seja uma das maiores necessidades desse tipo de profissional.

Quais os resultados mais alcançados nesses processos?

Depois de passar por um processo de coaching, o profissional consegue melhorar seu relacionamento com o trabalho. Ele passa a gerenciar melhor sua equipe e alcança bons resultados. Além de promoções de cargo, ele ainda obtém benefícios pessoais, como controle de estresse, melhor gestão do tempo e até perda de peso. Muitos profissionais até voltam a praticar esportes, pois passam a gerir suas rotinas de forma mais organizada.

As empresas valorizam quem tenha passado por um coaching?

Uma empresa que tenha um RH e uma liderança mais atuantes irá perceber diferencial em uma pessoa que passou pelo processo de coach. Inclusive, há casos em que a companhia contrata programas de coaching para treinar uma equipe e melhorar resultados.

Qual o momento certo para contratar um coach?

A pessoa consulta o coach de acordo com o momento em que ela está na vida. Há vários tipos de coaching para diferentes objetivos, como os especialistas em carreira de estudantes que ajudam o jovem a escolher uma carreira de acordo com o seu perfil.

A orientação deve fazer sentido para a vida do profissional. Depende do objetivo que se quer atingir. Quando contratei uma coach quatro anos atrás, tinha uma meta na carreira de executiva.

Depois, quando fui fazer minha transição de carreira, contratei novamente um orientador, pois se tratava de uma nova dinâmica que estava na minha vida e eu precisava de habilidades diferentes das que eu tinha desenvolvido antes.

Como um profissional avalia se é hora de contratar um coach?

Antes de tudo é preciso avaliar o custo de oportunidades. Às vezes a pessoa deixa de investir em algo para economizar, mas acaba gastando muito mais tempo e energia para alcançar um resultado que poderia ser conquistado em um tempo bem menor.

Então, ao invés de analisar o dinheiro que será gasto, o profissional deve avaliar o que ele está deixando de ganhar quando não passa por um processo de coaching.

Para saber se é realmente de coaching que o profissional precisa, aconselho que ele faça uma primeira entrevista com um coach. Antes mesmo da contratação do programa, a pessoa conversa com o orientador, assim ele irá saber se as necessidades do cliente estão alinhadas com as soluções que um coach pode trazer.


Fonte: Exame Abril
Fonte da imagem: Clique aqui

10 Táticas Para Vencer o Cansaço e se Manter Produtivo

Avaliar o tempo para cada tarefa e determinar prazo são algumas das dicas

Por Redação

Quando um dia de trabalho começa, a energia para tocar projetos e riscar da lista as tarefas da semana está em seu nível máximo.

Só que, conforme as horas e os dias da semana vão passando, a produtividade começa a cair. Há até aquelas noites em que se vai dormir com um sentimento de que as horas passaram e quase nada foi feito.

Não é fácil manter o pique e não deixar o ânimo arrefecer. Mas algumas táticas simples ajudam a vencer o cansaço e as distrações, aponta a empreendedora Elizabeth Grace Saunders, fundadora da consultoria Real Life, especializada em recursos humanos.

Ela revelou, em artigo publicado no site do Young Entrepreneur Council, quais são seus dez passos para não deixar a peteca cair.

1. Ordene atividades

Faça uma lista de atividades diárias colocando as mais importantes no início do dia – e no começo da semana. Assim, tarefas menos urgentes podem ser adiadas para outro dia, se houver um imprevisto.

2. Pare para refletir

Afastar-se do computador para pensar em como resolver um problema ou responder a um e-mail complexo não é procrastinar. Essa pausa para reflexão é bem produtiva, e pode ser acompanhada de um lanche ou pequena caminhada.

3. Dê-se uma folga

Para manter a motivação e mudar de canal para uma tarefa diferente, dê-se um tempo de intervalo para responder a e-mails pessoais, fazer um lanchinho ou se alongar um pouco.

4. Fatie grandes projetos

Ao começar um projeto que tomará horas do dia, rabisque um miniplano com todos os passos a serem cumpridos. E cumpra cada etapa no prazo estipulado, para não estourar o tempo que foi planejado para o projeto.

5. Avalie seu tempo

Se um projeto começar a se estender mais do que o previsto, avalie se vale mais a pena terminá-lo ou seguir em frente com outra tarefa ou se é melhor deixá-lo bom o suficiente e retomá-lo quando der tempo.

6. Abra espaço para pequenezas

Pequenas tarefas, como assinar cheques ou marcar compromissos, podem ser realizadas em “bolsos” de tempo entre as atividades programadas.

7. Defina prazos

Se deixar uma mensagem de voz para alguém, anote na agenda um prazo para retomar o contato. Quando tiver uma tarefa, defina qual é o deadline para cumpri-la e quando é preciso começar. Documentar os próximos passos é essencial para ser produtivo.

8. Crie urgência

Pense em tarefas extras que seria bom encaixar no dia ou na semana. Esse excedente é um fator motivador para testar seus limites e impede o hábito de se alongar em atividades por saber que não há nada para fazer depois.

9. Meça a sociabilidade

Marque reuniões e conferências nos dias em que seu humor está bom para socializar e trocar ideias. Quando se está cansado de estar entre pessoas, é mais produtivo trabalhar sozinho.

10. Chame o inspetor

Saunders conta que tem quatro funcionários que a motivam a ser produtiva porque sabem quais são as tarefas que ela tem de cumprir e o que ela está fazendo no momento. “Eu me comprometo a ser transparente com eles sobre o que realmente estou fazendo e eles me encorajam a terminar tudo”, afirma a empreendedora.


Fonte da imagem: Clique aqui

7 Passos Para Lidar Com a Raiva no Trabalho

A especialista em desenvolvimento humano e autora do livro "O Mapa da Felicidade", Heloísa Capelas, explica como lidar com sentimentos negativos no trabalho 

Por Adeline Daniele

A cobrança do chefe, comentário de um colega ou um simples contratempo durante o dia podem causar estresse e fazer com que algumas pessoas sempre reajam de maneira negativa - ou até mesmo agressiva - a qualquer situação. E esse tipo de comportamento pode vir a comprometer a carreira do profissional.

A especialista em desenvolvimento humano e autora do livro "O Mapa da Felicidade", Heloísa Capelas, explica como uma pessoa deve lidar com esse sentimento sem prejudicar a si mesmo e nem afastar os seus colegas de trabalho. Confira os sete passos a seguir:

1. Faça uma autoavaliação

Para Heloísa, o primeiro passo é fazer uma autoavaliação para identificar como a relação com a emoção se deu no decorrer da vida da pessoa.

Faça isso tentando responder aos seguintes questionamentos: quais situações e acontecimentos despertavam raiva nos seus pais? Nessas horas, o que eles faziam? Como pensavam? Como expressavam a emoção negativa?

A partir dessa análise, será possível identificar quais situações causam a raiva e como a pessoa demonstra essa emoção através de seu comportamento, se ela reage da mesma forma que os pais ou se faz o oposto.

2. Responsabilize-se

Pare de tentar achar um culpado para seus problemas e comece a assumir as responsabilidades por tudo o que não tem dado certo. “Isso significa que, mesmo diante de situações que parecem sem saída, todos nós temos a chance de assumir as rédeas e escolher a forma como vamos agir.

Diante de resultados negativos, surge a possibilidade de perceber o que deu errado e o que pode ser feito para evitar esse mesmo resultado”, explica a executiva.

3. Seja mais positivo

Segundo Heloísa, ser positivo diante dos fatos da vida abre as portas para que se possa tirar proveito e desfrutar de todos os acontecimentos. A qualidade também vale para a tomada de decisões no trabalho, e pode ser uma boa ferramenta para melhorar a performance do profissional.

“Hoje em dia, as empresas buscam mais que um bom currículo, repleto de qualificações; elas desejam também contar com profissionais bem desenvolvidos emocionalmente, capazes de decidir e comandar com segurança e positividade”, diz.

4. Respire fundo

Parece simples demais, mas se você já recebeu esse tipo de conselho quando estava em um momento de raiva está na hora de colocá-lo em prática.

“Quem já fez isso sabe o milagre que esses segundos podem fazer”, diz Heloísa. “Num momento difícil, respire. Respire e escute o que está acontecendo com você. Em que está pensando e por que está pensando isso? Quais ações e decisões pode tomar neste momento? O que é melhor? Lembre-se: você tem escolhas.”

5. Não guarde tudo para você

E engana-se quem pensa que apenas as reações agressivas são graves. Para Heloísa, as reações impulsivas e sem consciência são tão prejudiciais quanto o silêncio, pois o indivíduo estará sendo agressivo consigo mesmo. “As consequências desse comportamento invariavelmente são desânimo, tristeza e apatia, entre tantas outras possibilidades.”

Novamente: a pessoa precisa rever sua própria história e descobrir por que ela tem repetido esse padrão diante da raiva. "Cabe a elas identificar a origem do comportamento para que possam encontrar novas e melhores maneiras de lidar com essas situações", diz Heloísa.

6. Pratique o perdão

Segundo Heloísa, perdoar a si mesmo é um bom começo para compreender os resultados negativos e aprender a modificar seu comportamento em busca de melhores resultados.

“Transformar a si mesmo e escolher caminhos e comportamentos mais positivos envolve reconhecer os próprios erros e se perdoar. É preciso reconhecer que somos apenas humanos e que falhamos”, explica a especialista.

7. Promova feedbacks construtivos

Observei que um colega de trabalho tem agido de forma negativa ou agressiva. Como posso ajudá-lo?

A melhor forma de abordar um colega de trabalho que esteja expressando sua raiva com frequência é dar feedbacks da maneira mais responsável e amorosa possível. Além disso, quem se responsabiliza por suas ações, palavras e pensamentos também acaba servindo de influência para todos a sua volta.

“Em vez de manter um comportamento defensivo diante da crítica, eles terão a oportunidade de refletir sobre o que lhes foi dito e, naturalmente, buscarão uma postura mais positiva”, afirma Heloísa.

“E, como num efeito dominó, começarão a gerar melhores feedbacks. Por fim, serão mais felizes com o que a vida lhes apresenta e terão a chance de colaborar decisivamente para melhorar a qualidade do clima organizacional.”


Fonte: EXAME
Fonte da imagem: Clique aqui

Quatro Catalisadores Para Equipes de Alto Desempenho

Autor: Samara Teixeira

Liderar uma equipe de alto desempenho é a aspiração de toda liderança. De acordo com Daniel Motta, fundador da BMI – consultoria de transformação organizacional que atua ao lado de grandes organizações – e criador da metodologia ELOS© (Essential Leadership for Organizational Strategy©), uma equipe consegue alcançar patamares superiores de produtividade quando seu líder é capaz de ativar os quatro catalisadores essenciais para um desempenho excepcional. 

São eles:

Confiança: é conquistada com ações percebidas, consolidada por uma trajetória de convivência e sustentada pela demonstração de expertise. Por outro lado, pode ser perdida por um mero descuido. Equipes permeadas por uma relação de confiança entre líderes e liderados alcançam altos níveis de desempenho mais rapidamente e são capazes de mantê-los por mais tempo.

Comprometimento: depende da força da coesão grupal, do senso de responsabilidade, da disciplina em aderir a normas e processos corporativos e da paixão individual por pertencer àquele grupo. Manter uma equipe altamente comprometida é mérito do bom líder.

Conhecimento: nas equipes de alto desempenho, o conhecimento vai muito além dos saberes funcionais e técnicos. Engloba visão sistêmica de uma série de variáveis internas e externas pertinentes ao negócio, alinhamento do mapa mental dos membros em prol do processo de obtenção do conhecimento, inteligência emocional e a capacidade de aprendizagem coletiva.

Significado: é o único catalisador que pode criar o vínculo emocional necessário para um desempenho excepcional em grupo, muito além das capacidades individuais isoladas de seus colaboradores. São características das equipes de alto desempenho o alinhamento de propósito, a paixão pelo que faz de seus indivíduos, a inclusão social e o equilíbrio.


Fonte da imagem: clique aqui

Como Criar um Negócio de Alto Impacto e Escalável

Especialista afirma que não significa que negócios pouco escaláveis não são bons negócios ou que não conseguirão se tornar grandes

Editado por Camila Lam,

Criando um negócio de alto impacto: ganhando escala.
Escrito por Arthur Valadão, especialista em empreendedorismo

Um dos critérios mais importantes que a Endeavor avalia nos empreendedores de alto impacto é a escalabilidade de suas empresas. Além de sonhar alto e atender um grande mercado potencial, a Endeavor busca empreendedores à frente de negócios escaláveis. Esses empreendedores têm grandes chances de crescer aceleradamente e nós acreditamos que negócios que crescem rápido são alavancas para o crescimento econômico de um país.

Por que ser escalável?

Normalmente negócios cujo produto ou serviço demandam grande customização para um cliente, ou cuja venda e produção dependa de hora-homem especializada, não são considerados escaláveis. Isso acontece porque o crescimento dessas empresas exige a contratação de novos colaboradores para atender à demanda, gerando um aumento de custos proporcional.

Já um negócio escalável consegue minimizar a dependência de funcionários. Isso permite que a empresa cresça mais rápido e ao mesmo tempo aumente sua margem, já que suas receitas crescem mais do que suas despesas.

Mas, existem diferentes graus de escalabilidade: um negócio pouco escalável é aquele que tem um produto ou serviço que precisa ser vendido, produzido e depois entregue de maneira customizada para cada cliente através de funcionários altamente treinados como, por exemplo, uma consultoria. Para cada nova venda de projeto é preciso que um sócio experiente identifique o problema do cliente para depois um grupo de consultores dedicarem alguns meses para entregar uma solução única.

Por outro lado, um negócio escalável é aquele que consegue ao máximo automatizar essas atividades. É o caso de um e-commerce, cuja força de vendas é um site, no qual os produtos industrializados e a logística são delegados a fornecedores.

Entre esses dois existem empresas mais e menos escaláveis. A principal variável que determina a capacidade de escala é a quantidade de horas de funcionários necessária para executar essas etapas de venda, produção e entrega (não podemos esquecer de incluir na conta as horas de treinamento que esses funcionários precisam receber).

Todo negócio já nasce escalável?

Nem sempre, mas é possível fazer adaptações para conseguir escala, padronizando e buscando um modelo replicável. Um bom caso para exemplificar isso é o do Bruno Balbinot, da Ambar. Ele conseguiu “produtizar” o serviço de instalação elétrica para grandes construções.

Normalmente, esse tipo de serviço em obras é algo muito customizado, que depende de mão-de-obra especializada e acaba gerando muito desperdício. Então resolveu criar processos padronizados e simplificar a instalação. Dessa forma, o serviço se tornou mais previsível e confiável, e reduziu em 80% a necessidade de mão de obra especializada.

Isso não significa que negócios pouco escaláveis não são bons negócios, ou que não conseguirão se tornar grandes. Existem consultorias com milhares de funcionários, em escritórios pelo mundo todo que são muito lucrativos.

Mas o negócio escalável consegue crescer muito mais rápido e, por isso, tem mais facilidade para atrair investidores. Dessa forma, compreender o potencial de replicabilidade e escalabilidade é um bom caminho para o empreendedor que está se preparando para crescer.



Fonte: EXAME
fonte da imagem: Clique aqui

É Chegada a Hora de Mudar: Por Onde Começar?

Tomar uma decisão que altera todo o rumo da carreira nem sempre é fácil, conheça meios mais eficazes de avaliar fatores que contribuirão para a mudança

Por Publieditorial

A busca por novas oportunidades de crescimento e aprendizado, em um menor espaço de tempo, está se tornando algo mais frequente para profissionais com mais de 10 anos de experiência no mercado. Até então, considerados mais cautelosos, esses profissionais costumavam optar por permanecer na empresa, no anseio de progredir gradativamente na companhia. Uma pesquisa realizada pela Page Group em junho de 2014, com mais de 800 profissionais, aponta que entre executivos de alto e médio escalão, 92% consideram a possibilidade de alterar o rumo da carreira.

Entretanto, antes de recalcular a sua rota, é preciso saber exatamente onde e como quer chegar, caso contrário, o percurso pode se tornar muito mais árduo e tenebroso do que realmente se esperava. Pois bem, qual processo pode contribuir para que seu objetivo seja alcançado com sucesso? Se sua resposta foi coaching, estamos começando a “falar” a mesma língua.

O coaching é o meio mais eficiente e eficaz para atingir novos resultados transformadores em todos os aspectos da vida do indivíduo. Tratando desse exemplo de definição de novos caminhos para obter êxito profissionalmente, abaixo seguem algumas dicas que podem contribuir nesse momento de alteração de trajetória profissional:

Traçar metas claras

Defina exatamente qual é o seu objetivo e, em seguida, formule como, onde e quando quer obter êxito em seu planejamento, lembrando que para evitar frustações, não se esqueça de verificar se o prazo estipulado é alcançável.

Analise todos os prós e contras

Existem técnicas de coaching que permitem analisar indícios importantes para tomar a decisão correta no momento das mudanças, uma delas é a “Ganhos & Perdas”. De maneira superficial, podemos dizer que, por meio dessa técnica, é possível analisar os motivadores e ganhos e, em contrapartida, os sabotadores e as perdas inerentes às novas decisões. Assim, riscos e benefícios estarão claros para você desde a avaliação.

Relacione o que será necessário para colocar seu plano em prática

De uma grande construção a uma pequena reforma, é preciso materiais, ferramentas e mão de obra especializada para a realização da empreitada. Para objetivos profissionais, não poderia ser diferente. Para ser bem-sucedido, é crucial que avalie os recursos necessários para a conclusão de seus anseios.

Faça uma lista de treinamentos, especializações, viagens culturais e outros meios de aprendizados essenciais para sua evolução profissional. Mas não se esqueça de reservar investimentos para se aprofundar no processo de coaching. Afinal, o processo vem ganhando espaço no mundo corporativo e, segundo estudo do Public Personnel Management Journal, 88% dos executivos que participaram de treinamentos de coaching tiveram um aumento em sua performance. Visto como um dos profissionais mais requisitados no mercado de trabalho atualmente, o líder coach destaca-se por focar na solução e trazer retornos exponenciais para a corporação, tornando-se um disseminador de resultados nos mais diferentes segmentos.

Estabeleça as estratégias

Liste os melhores meios e busque inspiração em pessoas que já obtiveram resultados positivos. Exemplos dão motivação extra e, caso não o tenha, perceba a oportunidade de se tornar o primeiro a conseguir esse grande feito.

Plano de ação: comece agora!

Estipule seu primeiro passo, ponderando todos os itens anteriores. Não esqueça que para obter sucesso em cada meta, objetivo e sonho estabelecido, só dependerá de você. Portanto, assumir a total responsabilidade sobre os resultados obtidos, bem como o comprometimento por todas as etapas do processo, é crucial para se bem-sucedido na mudança de área profissional.


Fonte da imagem: Clique aqui

Torne-se um Bom Comunicador em 5 Passos

Uma boa comunicação é importante para diversos setores da sua vida. Veja 5 passos para se tornar um bom comunicador

Por Universia Brasil

Saber se comunicar é uma habilidade que traz benefícios para todas as áreas da vida, no entanto muitas pessoas dizem ter dificuldades em conseguir se comunicar bem. Você quer se tornar mais comunicativo? Descubra os 5 passos que você deve seguir para alcançar esse objetivo:

1 – Ouça

Ser comunicativo não significa falar o tempo todo sem parar. Bons comunicadores sabem ouvir o que o outro tem a dizer e, assim, demonstram que têm interesse em estabelecer conversas.

2 – Pergunte

Depois que a pessoa disser algo, faça alguma pergunta. Isso demonstrará que você prestou atenção na conversa e que quer ajudar ou se envolver de alguma forma com o assunto discutido.

3 – Aprenda a perceber a hora certa de falar

É claro que você não precisa ouvir o que o outro tem a dizer e ficar sem falar nada sobre o seu próprio assunto, mas é essencial que você consiga perceber a hora certa de falar e, assim, fazer com que o assunto não gire ao seu redor o tempo todo.

4 – Seja simples e direto

Nada de firulas: o bom comunicador é aquele que consegue transmitir a sua mensagem de forma simples e direta, fazendo com que as pessoas a entendam e, assim, tornando o diálogo mais objetivo.

5 – Use a linguagem corporal ao seu favor

Um diálogo não acontece apenas na forma verbal, mas também por meio de expressões corporais que demonstram como o outro está recebendo as suas mensagens e alteram a forma como você comunica o que tem a dizer. Caso você tenha dúvidas de como se comportar, veja um infográfico com os erros comuns de linguagem corporal e os evite! Suas habilidades em comunicação com certeza ficarão melhores.


Fonte: UNIVERSIA
Fonte da imagem: clique aqui

As Atitudes Fundamentais Para Ter um Ótimo Dia de Trabalho

O jeito como você inicia o expediente ou suas manhãs pode determinar o sucesso (ou não) do seu expediente; veja 7 ações para garantir um dia de trabalho melhor

Por Talita Abrantes

Se a primeira impressão é a que fica, a maneira como você inicia um novo dia de trabalho pode dar o tom de todo o resto do expediente. Basta uma irritação aqui por causa do trânsito e um erro ali ao delimitar as prioridades para que as horas seguintes fiquem prejudicadas.

Mas é possível tomar algumas medidas logo no início do expediente para garantir equilíbrio e produtividade até o minuto final. Confira quais são os 7 passos fundamentais para ter um excelente dia de trabalho. 

1. Tome café da manhã

Um excelente expediente começa muito antes de você sair da sua casa. Rejeitar a “soneca” do celular, tomar a decisão de acordar disposto e de se arrumar são atitudes fundamentais para chegar bem ao ambiente de trabalho.

Na lista de tarefas fundamentais para fazer antes de sair de casa (ou enquanto ruma para o escritório) está tomar café da manhã. Sim, isso mesmo. Pular esta refeição pode ter efeitos nefastos para seu humor, concentração e produtividade, afirma o doutor Artur Zular, diretor científico do Instituto Qualidade de Vida. 

“Se não, a pessoa vai trabalhar com hipoglicemia. As funções cognitivas ficarão prejudicadas. Pessoa com fome fica irritada, com dor de estômago ou de cabeça. Ele senta na mesa já ‘estragado’”, descreve o médico. 

Deixar para comer no trabalho também não é a melhor opção, diz o especialista. “Com essa tal “Lei de Murphy”, ele pode não conseguir comer. E a pessoa passa a se portar como vítima, quando, na verdade, faltou planejamento”, afirma. 

2. Chegue no horário (ou antes)

Pode parecer óbvio, mas muita gente se esquece desta premissa básica para o dia de trabalho. Quem chega atrasado, já chega “inadimplente”, brinca o doutor Zular. “O atraso gera uma condição psicológica desfavorável, você acaba se focando em questões não ligadas à carreira porque você está preocupado em se justificar”, diz Fernando Colella, da consultoria Café com Coaching.

Bem sabemos que imprevistos acontecem (é o trânsito que empaca, o ônibus que não passa ou o carro que não pega), mas é essencial se antecipar a cada um deles. Como? “Planeje chegar 15 minutos antes, aí você não precisará justificar nada, nem inventar”, afirma Zular. E se a disciplina é seu "calcanhar de Aquiles", veja neste vídeo como ser mais disciplinado.

3. Fale bom dia e sorria 

“Investe-se milhões em ações para melhorar o clima organizacional, mas quem realmente muda isso são os próprios colaboradores no dia a dia”, diz Zular. E isso começa desde cedo – com o real desejo de que o outro tenha um bom dia, afirma o pesquisador. E não se esqueça de sorrir neste percurso: “Cem músculos são mobilizados em um sorriso. O cérebro interpreta a mímica facial positivamente e o dia passa a ser diferente”, afirma o médico. 

4. Beba água

Enquanto o computador é ligado, aproveite para encher uma jarra de água e cuidar das suas questões fisiológicas. “A desidratação diminui a capacidade de trabalho, afeta o raciocínio, a crítica e a memória”, diz o médico. O ideal é sempre ter uma garrafa ou um copo à mão para ir se hidratando ao longo do dia. “Quanto você sente sede, já está com 5% de desidratação”, afirma Zular.

5. Deixe a mesa organizada

Mais um hábito para adicionar à rotina: agora, antes de deixar o escritório, deixe sua mesa em ordem. Isso fará toda a diferença no dia seguinte, dizem os especialistas. “Mesa desorganizada é um estressor”, diz André Caldeira, da Propósito.

6. Faça uma lista de tarefas 

Chegou a hora de planejar seu dia. “Antes da ação, o primeiro passo é a organização”, afirma Colella. Para isso, comece listando o que ficou pendente do dia anterior. Depois, elenque as atividades urgentes e importantes, e por aí vai. 

A dica é definir quais são as prioridades e estimar o tempo de execução para cada uma delas. “Você tem que começar por aquilo que tem que ser feito, não pelo que é mais gostoso”, diz Colella. 

Mas não se esqueça de dar espaço para o imponderável. “Nosso planejamento deve ser flexível. Você precisa ter em mente que alguém pode interromper você. Então, é preciso ter esta margem de segurança de tempo na agenda”, afirma Alexandre Barbosa, autor do livro “Construa seus sonhos” (Editora Thomas Nelson). 

7. Aproveite o período em que você está mais focado

E o mais importante: não demore muito para “dar a partida” de fato no expediente. Muita gente chega no trabalho, mas leva um bom tempo para começar a trabalhar de verdade. No lugar de já focar na ação, há quem perca tempo atualizando status nas redes sociais, checando a vida alheia na internet ou, simplesmente, batendo um extenso papo no café. 

“Com isso, elas perdem o período que tem mais foco. Depois das 10h, por exemplo, todo mundo já chegou e as chances de dispersar são maiores”, diz Barbosa. Captou? Então, boa sorte no dia de hoje. 


Fonte da imagem: Clique aqui

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More