Cyberbullying ou Cyberfúria: Como Evitar?

Algumas dicas podem salvar você desse mal. Veja como se proteger no mundo online




*Por Tony Ascombe

Então você acha que se livrou desse problema com a Internet, certo? Identificar tentativas de phishing na sua caixa de entrada se tornou quase obrigatório, você mantém seu software de segurança sempre atualizado e sua colega de trabalho, a seu pedido, retirou as fotos da festa de Natal que ela postou no Facebook. Você é um exemplo de internauta. Você está conectado.

Mas o que fazer quando alguém com um rancor pessoal e um pequeno conhecimento de computador age com o único propósito de te puxar para baixo? Você não pode pensar que isso é muito provável, mas vinganças pessoais na web são fáceis de realizar. É o canal perfeito para colocar toda a raiva para fora.

Esse tipo de ataque, chamado de "ciber raiva", pode ser considerado menos importante que os ataques de malwares maiores que afetam milhões de pessoas pois são dirigidos a apenas um ou dois indivíduos. Mas, mesmo assim, pode causar estragos incalculáveis ​​para as vítimas.

O maior caso de ciber fúria envolveu um homem nos Estados Unidos. Depois de resistir às críticas de um ex-funcionário, ele decidiu se vingar. Criou o perfil on-line de uma mulher e enganou o ex-funcionário, dizendo-se apaixonado por "ela". O plano funcionou, e a humilhação ao ex-funcionário foi noticiada em diversos sites. Em uma reviravolta incomum, esse ex-funcionário reagiu contra agências de notícias lançando ataques do tipo denial-of-service (DDoS), tirando-os temporariamente do ar.

Em um outro caso extremo, um homem invadiu, em Minnesota, a rede Wi-Fi de um casal vizinho, acusando o marido de praticar pornografia infantil, ao enviar mensagens indecentes para seus colegas de trabalho, além de várias ameaças aos políticos dos Estados Unidos, incluindo o vice-presidente Joe Biden. Durante alguns meses, o ataque quase destruiu a reputação do casal, seu casamento e sanidade.

É fácil usar a web para constranger, assediar, acusar e até mesmo interromper uma vida. Não é preciso divulgar a identidade e não custa nada. Não sabe por onde começar? Basta fazer uma pesquisa na web e você encontrará diversos sites com dicas para praticar crimes na internet. Os toolkits de hacking colocam uma magia high-tech nas mãos de qualquer um que queira agira de má fé.

Ok, mas se qualquer um pode atacá-lo, quem faria isto?

Os últimos acontecimentos provam que qualquer pessoa pode fazer isso. Talvez até um vizinho que não queira que você ouça música alta às 8 da manhã. Ou um ex-funcionário que você teve que demitir. Talvez seja um concorrente de negócios. Ou algum colega de trabalho que está com ciúmes de sua promoção. Acredito que, ao longo da sua vida, as chances de cruzar com alguém de má índole é grande, mesmo que você não faça nada com má intenção.

Então, como evitar ser uma vítima de raiva cibernética? Da mesma forma que você evita problemas no mundo real: não faça inimigos. É impossível não desenvolver rancor em algumas pessoas. Ou se engajar em debates políticos on-line sem contrariar a opinião de alguém. Ou simplesmente encontrar com a pessoa errada, que está disposta a levá-lo para baixo e te prejudicar apenas por diversão.

Então, vou dar algumas dicas de como não sofrer "ciber raiva":

• Evite agitar a raiva on-line e off;

• Preste atenção a qualquer coisa diferente que possa estar ocorrendo em sua vida ou seja, se alguém começou a tratá-lo de forma diferente;

• Proteja sua rede Wi-Fi com criptografia e uma senha bastante segura;

• Mantenha o software de segurança online do seu PC sempre atualizado e certifique-se que inclui um firewall;

• Se suspeitar que você é uma vítima de ciber raiva, pode ser necessário chamar um advogado e especialista em computador para controlar os danos e achar o culpado;

• Se você acredita que está correndo perigo, contate imediatamente alguma autoridade.

*Tony Ascombe é embaixador mundial de produtos free da AVG Technologies

Fonte: Olhar digital
Fonte da imagem: gettyimages

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More