Série ETIQUETA PROFISSIONAL - Formas de Expressão no Ambiente Corporativo

Maiara Tortorette

A forma como uma pessoa se expressa diz muito sobre o seu perfil. No ambiente corporativo, esse fator é ainda mais relevante, já que o modo como o profissional se comporta e se comunica reflete no relacionamento com os demais colaboradores, de forma positiva ou negativa. Alguns falam de um jeito mais calmo, outros podem ser mais ansiosos ou até mesmo estourados, cada um a sua maneira de ser. Mas afinal, existe uma maneira mais adequada de se expressar dentro da empresa?

Primeiramente, é importante que esteja situado, e que avalie o local de trabalho. Existem lugares que preferem funcionários mais participativos e precisam de pessoas mais agitadas, no entanto, em outras organizações o ambiente deve ser mais calmo e os colaboradores precisam seguir esse perfil. Tudo depende dos objetivos e cultura da empresa.

Para Eduardo Shinyashiki, especialista em desenvolvimento das Competências de Liderança e Preparação de Equipes, a voz é uma ferramenta importante de comunicação, no entanto todo o corpo transmite mensagens. “É adequado ter uma boa dicção, pois falar com uma voz firme transmite tranquilidade e segurança. Mas é importante lembrar que não nos comunicamos apenas com a fala, nosso corpo transmite informações a todo tempo. A linguagem corporal é uma ferramenta que otimiza muito a comunicação entre as pessoas”, explica.

A maneira como falamos com os amigos, ou até mesmo com nossos familiares, deve ser diferente da que utilizamos nos negócios. O profissional deve adotar outra postura, assim como desenvolver sua capacidade de convívio com outras pessoas, mesmo que não tenham gostos em comum. “Existem algumas regras básicas de convivência. O problema de alguns profissionais é o despreparo da vida social, em que a pessoa deve criar uma habilidade de relacionamento”, indica Ana Cristina Limongi, autora do livro Práticas de RH, coordenadora da FIA e professora da FEA-USP. “Isso tudo significa apenas ter educação, prestar atenção quando está conversando e até mesmo ter tolerância, já que as pessoas são diferentes. Além disso, é necessário estar sempre informado sobre o local onde está e do que está acontecendo a sua volta”.

Algumas vezes é difícil ter discernimento para saber a melhor hora de opinar sobre determinado assunto, ou apenas observar, para que não seja visto como inconveniente. Uma sugestão bem colocada pode ser importante para que o profissional se destaque e seja reconhecido na empresa, no entanto, uma opinião da hora errada pode denegrir sua imagem e até mesmo impedir um crescimento na organização.

“O mais importante é utilizar o bom senso e observar regras sociais”, sugere Denise Manfredi, professora de Comunicação Humana no Ambiente de Negócios da Business School São Paulo (BSP) . “O profissional pode opinar sem medo quando é solicitado e tem conhecimento do que vai expressar; pode pedir licença e oferecer a sua sugestão. Com pessoas mais próximas, a informalidade permite que se opine mais livremente, portanto, é necessário ter consciência de seus limites. Observar a reação do outro também pode ser interessante, já que costumamos emitir sinais de receptividade ou repulsa, mesmo que sutilmente”.principal.

Muitos acreditam que falar em todas as ocasiões seja sinal de proatividade, mas a verdade é que nem sempre a fala em excesso é vista de forma positiva. Conversar muito pode atrapalhar a produtividade do profissional e até mesmo das pessoas ao seu redor. Para Eduardo, a conversa pode entreter e distrair o funcionário tirando-o do seu foco

“A questão de falar muito depende do contexto, mas de qualquer forma, a gente sabe que a pessoa que se expressa verbalmente tem mais possibilidade de ser notada. A sociedade atual estimula esse tipo de expressão”, defende Ana Cristina. “Mas é importante lembrar que, em contrapartida, quanto mais você se expõe e participa, mais será avaliado. Então eu acho que o verbal é importante e faz a diferença, mas deve ser bem feito e condizer com as atitudes da pessoa. Nem tudo é para promoção ou aumento de salário, a questão muitas vezes é apenas melhorar o relacionamento e as atividades”.

A comunicação colabora para o bom andamento das atividades

Uma empresa precisa do empenho e da colaboração de seus funcionários para que consiga crescer e se destacar no mercado. A comunicação entre as pessoas é fundamental para que os ideais estejam alinhados e as atividades sejam distribuídas de maneira adequada. Uma equipe unida, que consiga manter um bom relacionamento, terá sempre mais chances de produzir um trabalho de qualidade.

Denise acredita no bom senso dos colaboradores para que a comunicação não prejudique, mas sim auxilie a equipe. “A boa comunicação, geralmente, beneficia o trabalho em equipe e os resultados”, define. “Contudo, a comunicação constante fora de contexto e do foco de trabalho – o falar por falar e as brincadeiras fora de hora podem dispersar a atenção e comprometer a qualidade e os prazos definidos”.

“Comunicação é a primeira matriz linguística que forma a nossa visão de mundo. E, cada vez mais, a complexidade e a diversidade nos forçam a questionar essa visão original e ampliar a nossa percepção. Esse aprendizado nos ajuda a entender as diferentes formas de comunicação que pode ser temperada por distintas culturas sociais ou organizacionais, no entanto, sempre haverá limites a serem observados. Viver em grupo significa praticar regras sociais que muitas vezes desafiam o nosso modelo mental. Para se ter sucesso são importantes o respeito mútuo, auto-percepção e percepção do outro”, finaliza.


Fonte da imagem: Clique aqui

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More