Para o Profissional Moderno, Saber Programar é Preciso

Por Angela Chen

Como muitas crianças de dez anos, Nick Wald faz aulas particulares uma vez por semana. Mas ele não está praticando escalas com uma professora de piano ou conjugações verbais em outro idioma. Ele está aprendendo a programar.

Nick, um aluno do quinto ano do ensino fundamental em Nova York, começou sem ter nenhum conhecimento e agora já sabe o suficiente sobre HTML, JavaScript e CSS para criar um website simples. Ele hoje está trabalhando com a plataforma XCode, da Apple Inc., para completar um aplicativo chamado "Clockie", que pode ser usado para programar alarmes e lembretes. Ele planeja oferecer o aplicativo gratuitamente na loja virtual App Store.

"Sempre gostei dos aplicativos da App Store e sempre quis saber como funcionavam e como eu poderia desenvolver" um eu mesmo, diz Nick.

À medida que aumenta a demanda pela habilidade de escrever códigos, ou linguagens de programação utilizadas para criar sites e aplicativos, esses conhecimentos técnicos estão deixando de ser privilégio dos profissionais da área de tecnologia da informação. Já aos sete anos de idade, crianças podem ter aulas on-line de Scratch, uma linguagem de programação educacional, enquanto jovens de 20 e poucos anos participam de workshops que prometem reforçar seu currículo para o setor de tecnologia. Empresas como a American Express Co.estão enviando altos executivos a cursos sobre dados e desenho computacional, não para que possam criar websites, mas para que possam gerenciar melhor os funcionários que o fazem.

"Comparo [saber] programar com [saber] ler e escrever", diz Adam Enbar, fundador da Flatiron School, de Nova York, que oferece, por US$ 12.000, programas de imersão de 12 semanas que prometem converter novatos em desenvolvedores. "Nem todo mundo precisa ser Shakespeare, como nem todo mundo precisa ser um desenvolvedor incrível", diz ele. "Mas [...] estamos entrando em um mundo onde todos os trabalhos serão técnicos, se é que já não são."

Há uma grande quantidade de linguagens de programação, que variam em popularidade e dificuldade, e são necessárias centenas de horas para se tornar um desenvolvedor júnior. No entanto, entender o que é "código" e saber o que é possível e o que não é quando se trabalha com uma equipe de TI é muitas vezes mais importante que criar aplicativos sozinho.

O Centro de Jovens Talentos (CTY, na sigla em inglês), da universidade Johns Hopkins, oferece cursos on-line em todos os tipos de assuntos, de redação à teoria da música, mas as aulas de desenvolvimento para a web têm atraído um interesse enorme, diz Patricia Wallace, diretora sênior do CTY Online. Os cursos se concentram em estudantes de até 15 anos. Em 2009, 63 alunos participaram do curso "Introdução a web design". Este ano, 762 estudantes se matricularam.

Numa aula recente de "Imersão no desenvolvimento para a web", da General Assembly, uma firma novata de educação que oferece cursos de programação e design, cerca de 25 estudantes entre 20 e 30 anos aprendiam como usar JavaScript para adicionar caixas de seleção em páginas da internet. Antes, cada um dos alunos tinha concluído um projeto usando a linguagem Ruby. Um exemplo: um site que mostra os resultados de vistorias sanitárias nos restaurantes das proximidades.

Alina Guzman, de 23 anos, formou-se em marketing digital em 2013. Recentemente, ela investiu US$ 11.500 num curso em tempo integral de 12 semanas para aprender Ruby e JavaScript. Dois meses depois de ter concluído o curso, ela foi contratada como engenheira júnior pela Superhuman, uma empresa novata de Nova York que desenvolve aplicativos que funcionam como assistentes pessoais.

Jake Schwartz, fundador e diretor-presidente da General Assembly, que oferece cursos em pessoa e através de um website que pode ser acessado de outros países, diz que escrever código também é importante porque ensina uma maneira diferente de pensar. "A programação ensina lógica, matemática avançada e conceitos de aprendizagem que nos tornam mais inteligentes e são úteis em todas as áreas", diz ele.

Mesmo aqueles que não planejam se tornar desenvolvedores estão percebendo a vantagem de aprender programação.

Várias grandes empresas, entre elas a American Express Co., a General Electric, a Merck Sharp & Dohme Corp. e a PepsiCo Inc., têm trabalhado com a General Assembly, diz Schwartz. Elas enviam equipes de altos executivos para cursos de dois dias que ensinam desde desenho assistido por computador até uma introdução ao Big Data.

Se você trabalha em finanças, por exemplo, diz Schwartz, pode aprender programação básica e, quando voltar para a empresa, vai entender o contexto da programação e trabalhar melhor com seus desenvolvedores. O conhecimento "vai fazer de você um gerente melhor", diz.

A Lynda.com, empresa da Califórnia, oferece todo tipo de vídeos de educação on-line, desde Photoshop à JavaScript. Seus clientes incluem a varejista de roupa esportiva Patagonia Inc., a divisão americana da Volkswagen AG e a editora Penguin Random House, diz uma das fundadoras, Lynda Weinman.

A Patagonia vai exigir que seus funcionários adquiram habilidades técnicas através dos vídeos educativos oferecidos pela Lynda.com nos próximos seis meses, diz Ceci Saez, diretora global de desenvolvimento organizacional. Metade dos 800 funcionários da Patagonia nos EUA já fez cursos do site voluntariamente.

"No passado, a tecnologia não era algo para o qual dedicávamos esforços regularmente", diz Saez. "Mas as coisas mudaram. Há um grupo distinto de pessoas que está se incorporando à empresa e ela é necessária."


Fonte da imagem: clique aqui

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More