12 Filmes Para se Motivar Para o Trabalho (Até o Fim do Ano)

Quando a motivação para o trabalho dá sinais de enfraquecimento, o cinema pode ser uma ótima ferramenta de inspiração. Confira filmes que ajudam nesse processo

Por Camila Pati

Entusiasmo constante na atuação profissional é uma das regras que as pessoas de sucesso não quebram, dizem os especialistas. Automotivados, profissionais assim costumam subir os degraus da carreira com mais facilidade do que os demais.

Mas, quando a motivação interna para trabalhar dá sinais de enfraquecimento, é possível recorrer a fatores externos para garantir o fôlego tão necessário para encarar o expediente. E o cinema pode ser uma ótima ferramenta de inspiração para enfrentar o mundo real.

Confira 12 filmes que podem ajudar nesse processo trazendo um sopro de motivação para profissionais de todas as áreas, na opinião de quatro especialistas:

Monstros S. A.

Mike e Sulley são monstros empregados da empresa Monstros S/A, que gera energia por meio dos gritos das crianças. O lucro da empresa cai quando as crianças perdem o medo e não se assustam mais. É quando Sulley conhece uma garotinha e descobre uma nova fonte de energia.

“Indico este filme com o foco de observação na comunicação empresarial. Itens como: os aspectos da formalidade, da informalidade, das relações interpessoais, feedbacks, ruídos da comunicação, metas claras, definição de processo, busca por resultados e confiança em equipe são alguns que o profissional deve estar atento”, diz a coach Mariella Gallo.

Diretor: Pete Docter
Ano: 2001
Duração: 92 min

Forrest Gump

Sob a perspectiva do bem intencionado Forrest Gump (Tom Hanks), um jovem com inteligência limitada, o filme traz passagens marcantes de 40 anos de história dos Estados Unidos. Apesar de não ter um QI alto, Forrest Gump ganha destaque em grande parte das situações descritas.

“O filme é uma comédia e drama ao mesmo tempo e a vida da gente também é isso, comédia e drama”, diz o diretor de RH da Finnet, Yoshimiti Matsusaki. 

De acordo com ele, a grande lição que fica é que, mesmo com limitações é possível superar obstáculos e ser feliz. “Ninguém é perfeito, mas dentro dessas imperfeições conseguimos conquistar muitas coisas”, explica.

A questão da força da palavra dele também um detalhe observado por Matsusaki. “Ele cumpre a promessa feita ao amigo durante a guerra e mesmo ele tendo morrido, o Forrest mantém a sua palavra. É difícil encontrar pessoas assim hoje em dia”, diz o diretor de RH da Finnet. ]

Diretor: Robert Zemeckis
Ano: 1994
Duração: 141 min

Apollo 13

A história verídica da missão Apollo 13, da NASA, tem muito a contribuir para a inspiração, principalmente, de quem é chefe de uma equipe, de acordo com a coach Mariella Gallo.

“Indico este filme para que se observe e que seja fonte de inspiração de como um líder deve conduzir uma equipe para buscar um resultado específico sobre forte pressão e incertezas”, diz Mariella.

Algumas atitudes mostradas no filme são essenciais para os líderes. “Reparar nas perguntas, postura física, depósito de confiança, como frear o impulso das equipes de entrar em uma visão pessimista e derrotada e como elevar as atitudes para que foquem em soluções”, cita a especialista.

Além disso é possível verificar e perceber a importância de como dar apoio, direção, saber ouvir e comunicar o objetivo claramente é imprescindível tornar o que parecia impossível em possível, segundo Mariella.

Diretor: Ron Howard
Ano: 1995
Duração: 140 min

Invictus

O filme contado a partir da eleição de Nelson Mandela (Morgan Freeman) para presidente da África do Sul, quando o país ainda mantinha resquícios do apartheid. O novo presidente se une ao time nacional de rúgbi em busca do fortalecimento da identidade nacional.“O filme é interessante e fala muito da questão da liderança”, diz Alexandre Benedetti, executive manager da área de finance da Talenses.

Ele cita uma cena em que a força de influência de Mandela fica muito clara, assim como o seu papel motivacional. “Quando o Mandela chama o capitão para tomar chá e pergunta para ele como ele queria ser visto como líder, traz a motivação pelo coaching”, diz Benedetti.

Diretor: Clint Eastwood
Ano: 2009
Duração: 134 min

Um domingo qualquer

Mais um filme com boas lições de motivação vindas do esporte. Nesta trama, Al Pacino vive Tony D’Amato, treinador dos Sharks, time de futebol americano em crise que está passando por uma sequência de derrotas.

“O filme traz o conceito de liderança pelo exemplo. Tem uma cena em que eles estão perdendo e precisam virar o jogo e o técnico usa a sua experiência, citando erros que havia cometido na sua vida, para motivar os jogadores”, diz Benedetti.

Diretor: Oliver Stone
Ano: 1999
Duração:150 min

O Discurso do Rei

O filme conta a história real de George VI, rei da Inglaterra e pai da atual rainha Elizabeth II. A gagueira o impedia de discursar para grandes públicos, é um problema sério a sua vida que o faz recorrer a um terapeuta.

A postura que um líder pode exercer com seus liderados que precisam de apoio para desenvolver uma competência é o que chama a atenção no filme e pode servir de inspiração para quem é do mundo corporativo.

“Indico este filme com foco em coaching. O papel de um líder coach que é apoiar e incentivar práticas de desenvolvimento para que um colaborador competente tecnicamente consiga desempenhar melhor um determinado projeto, nova função e ou alcançar desafios que exigem novas habilidades”, diz Mariella Gallo.

Diretor: Tom Hooper
Ano: 2010
Duração: 118 min

À procura da felicidade

Este é um filme com uma história real para lá de inspiradora. Chris Paul Gardner (Will Smith) é um vendedor de aparelhos médicos, que tem o sonho de se tornar corretor de ações.

A trama mostra todos os desafios até ele conseguir atingir a sua meta e, por isso, é obrigatório para quem está precisando de um empurrãozinho motivador. O conceito de propósito e a importância de seguir perseverante são os destaques da trama, na opinião de Benedetti.

Diretor: Gabriele Muccino
Ano: 2006
Duração: 117 min.

Nascidos para matar

Dirigido por Stanley Kubrick Um dos mais clássicos filmes sobre a Guerra do Vietnã pode ser visto do ponto de vista da liderança autocrática e as possíveis consequências de seu excesso ou aplicação em circunstâncias inadequadas.

“Os primeiros 40 minutos do filme demonstram claramente como um líder pode desvalorizar, incapacitar e inferir moralmente um colaborador. Observar esta situação nos remete, como gestores, a refletir como respeitar as diferenças humanas e que há modelos de lideranças situacionais”, diz a coach Mariella Gallo. 

Também é possível observar o resultado de um mesmo estilo de liderança aplicado a colaboradores em estágios diferentes de maturidade, segundo a especialista.

Diretor: Stanley Kubrick
Ano: 1987
Duração: 116 min

Gladiador

Da velha Roma ao dia a dia de um escritório. Os altos e baixos da história do general romano Maximus podem ser bastante inspiradores, na opinião de Alexandre Benedetti, executive manager da área de finance da Talenses . “É um filme que fala de trabalho em equipe, de liderança e também de propósito”, diz ele.

Direção: Ridley Scott
Ano: 2000
Duração: 155 min

Intocáveis

Baseado em fatos reais, o filme é grande fonte de inspiração e mostra a amizade que surge entre um jovem que começa a trabalhar como enfermeiro e o milionário de quem ele cuida. “É um filme fantástico. Além da relação de lealdade, na minha opinião, retrata o pensar fora da caixa”, diz Benedetti.

Direção: Eric Toledano, Olivier Nakache
Ano: 2012
Duração: 112 min

Sociedade dos Poetas Mortos

Robin Williams vive um ex-aluno da tradicional escola Welton Academy que se torna o novo professor de literatura. Seus métodos pouco ortodoxos de motivação criam problemas com a direção do colégio.

“Trazendo o filme para a realidade corporativa, o que fica é que é preciso viver cada etapa da carreira sem ansiedade”, diz Benedetti. É bom estar de olho no futuro, diz o especialista, mas com os pés bem fincados no presente. “É necessário prestar atenção no que você faz hoje, vivendo um dia após o outro”, diz.

Diretor: Peter Weir
Ano: 1989
Duração: 128 min

Tempos Modernos

Um dos grandes clássicos do cinema fecha a lista de filmes inspiradores. De acordo com José Carlos Ignácio, diretor da consultoria JCI Acquisition, o filme deve ser observado do ponto de vista irônico, de como a cúpula e a gerência de uma empresa não devem proceder.

“No filme a meta de produção é definida de cima para baixo, por uma liderança que se mantém isolada”, diz Ignácio. A supervisão, diz ele, também não está presente para racionalizar e dividir o trabalho.

"O funcionário não é valorizado não tendo sequer o tempo adequado de descanso e não há nenhuma cena em que se insinue a discussão ou o trabalho em equipe”, destaca o diretor da JCI Acquisition.

Diretor: Charlie Chaplin
Ano: 1936
Duração: 87 min


Fonte da imagem: Clique aqui


0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More