Brasileiro Não Sabe Aproveitar Promoções


Por Paula Furlan 

Promoções parecem não ter mais impacto tão grande no comportamento de consumo de brasileiros em todas as classes

A agência de pesquisa de mercado e inteligência Hello Research foi a campo entre os meses de junho e julho para realizar entrevistas face a face com 1000 pessoas de todos os perfis demográficos, em 70 cidades espalhadas por todas as regiões do país, e obteve números exclusivos sobre o comportamento de compra dos brasileiros e sua relação com as oportunidades geradas pelo ambiente promocional.

A primeira constatação é a de que já ficou para trás a época das compras programadas, chamadas de “compra de mês”. Em um curto intervalo de 15 dias, 71% dos consumidores frequentaram algum tipo de super ou hipermercado. A liderança das idas aos pontos de venda nos últimos 15 dias fica com as mulheres, com 75% da frequência, porém, não muito distantes dos homens, 66%. Os frequentadores mais assíduos foram os indivíduos com idade entre 25-34 anos, 76%. Já por região, destaque para o Sudeste, onde a frequência de visita nos últimos 15 dias chegou a 77%.

Um fato interessante apontado pelo estudo é que existe relação direta entre poder aquisitivo e idas ao supermercado. Pensando em visitas na última semana (7 dias anteriores a pesquisa), percebe-se que:


  • Indivíduos da classe A, vão mais as compras, 57%.
  • Na classe B, este número fica em 56%,
  • 39% na classe C baixa para 39%
  • E 35% das classes D e E

Segundo a Hello Research, 82% da população afirma não se lembrar de ter visto nenhuma promoção de bens de consumo em sua última compra. Os consumidores da classe D/E são os que menos se atentaram as promoções, com índice de lembrança de apenas 14%, números que na classe A são mais de duas vezes maior, 29%.

"Os números trazem duas realidades importantes. A primeira é que a população em geral já não é tão impactada por promoção como em outros tempos. O segundo ponto é que os consumidores de baixa renda, classes D e E, são menos suscetíveis as promoções do dia a dia. O que eles deixam de lado é o fato de que uma pequena economia a cada compra pode gerar uma grande economia ao final de um ano", afirma Davi Bertoncello, presidente da Hello Research.

Já os 18% dos consumidores que foram impactados afirmam que os mecanismos de promoção mais lembrados e preferidos nos hiper e supermercados são: “redução de preço” em 1º lugar com 52% da preferência, que é ainda maior entre o público mais sênior, a partir dos 45 anos, com 57%. Entre as regiões, o mecanismo é preferido pela maioria na região Sudeste liderando com 56%, contra a minoria de 25% na região Sul.

Em 2º lugar o mecanismo “Pague 2 Leve 3 e outros do gênero” é preferido por 1/4 dos consumidores. Sendo mais manifestada, por ambos os sexos, na região Sul com 39% do gosto pelo mecanismo e menor na região Sul com 21%.

O 3º lugar ficou para a mecânica promocional de “Compre e Ganhe", com 16% da preferência. Uma curiosidade registrada pelo estudo fica na Região Nordeste, onde 24% da população afirma gostar do mecanismo promocional de “Degustação”, índice muito superior a média nacional que é de 15%, sendo apenas o 4º lugar ocupado pela mecânica promocional no gosto dos brasileiros.

“O comportamento do consumidor brasileiro assume uma nova postura no ponto de venda, o impacto de promoções tradicionais já não surte o mesmo efeito. Não há dúvidas de que a forma como o consumidor se posiciona no mercado digital está sendo transferida intrinsecamente para os pontos de venda físicos, onde o consumidor valoriza e prioriza cada vez mais seu tempo, dinheiro e esforço. As empresas que não estiverem dispostas a identificar essa nova postura e reformular sua interação terá seu espaço perdido na lembrança do consumidor”, comenta Vinícius D. P. Meucci, Analista de Inteligência de Mercado da Hello Research.

Em uma comparação com a venda de bens duráveis, itens que também foram analisados durante o estudo, o instituto identificou que 13% dos brasileiros compraram algum eletrodoméstico ou eletrônico nos últimos três meses. Deles 51% afirmam ter adquirido o item em promoção. Desses, as mulheres lideram as compras em promoção com 66% contra 48% dos homens. As classes B e C, com 58%, se mostraram mais adeptas as promoções do que a classe D e E, com apenas 39%. Dos consumidores da região Sul, 92% dos entrevistados levaram para casa os itens em promoção, em contraponto os consumidores da região Sudeste foram os que menos compraram itens em promoção, com 45%. Quando analisamos a compra promocional do segmento de TVs, item mais desejado entre os eletrônicos, o patamar chega a incríveis 70%.

Voltando as compras de bens duráveis, vale ressaltar que 1 a cada 4 brasileiros declarou ter comprado um item sem necessidade de troca, apenas em função do senso de oportunidade da compra em promoção. Outra constatação importante no consumo de bens duráveis é que 1 em cada 2 dos entrevistados afirmaram que promoção não os motiva a trocar sua marca preferida, por uma segunda em promoção. Neste sentido as mulheres são mais fieis as suas marcas favoritas, 67%, contra 43% dos homens.


Fonte da imagem: Clique aqui

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More