10 Dicas Para Planejamento Digital


Por Leonardo Araujo

No último sábado (26), Dani Rodrigues, Coordenadora de Social Media na Pong Dynasty (Flag), deu algumas dicas sobre planejamento digital durante o Share 2014. O Adnews esteve presente e traz alguns ensinamentos deixados por Dani durante sua palestra no evento promovido pelo site Papo de Marketeiros e idealizado por Rafael Martins, especialista em e-mail marketing da agência Cadastra.

1 – Não “empurre” conteúdo

Dani, que atende Turner em sua agência (Cartoon, Warner, TNT, TBS, TCM, Space Boomerang, Flashland, truTV e CNN Internacional), acredita que não há receita do bolo para o planejamento perfeito. A chave para o sucesso, segundo a profissional, é entender o comportamento das pessoas e esquecer aquela antiga lógica broadcast de emissor empurrando conteúdo goela abaixo do usuário. Na internet isso não funciona.

2 – Entenda seu público

"Quem faz planejamento sabe que cada um tem uma forma de fazer", explica para dizer que, basicamente, trabalha com três processos: informação (briefing e pesquisa), processo criativo (lapida hipóteses e resolve problemas) e por fim transforma essas ideias em negócio. Sim, para Dani é preciso gerar negócios no digital. Aquela história do "curte ou compartilha" aumenta as vendas de alguém?

Lembre-se também que tudo é muito efêmero nas mídias sociais e se sua marca esquece o comportamento do público e faz uma comunicação "chata", está fadada ao fracasso. "Rede Social é quando você conecta pessoas com objetivos em comum", diz Dani. Ou seja, não basta ter 14 milhões de fãs no Facebook, é preciso se comunicar com eles e não apenas mostrar o seu produto sem contexto algum.

3 – Cuidado com os números

Fique atento à ilusão dos números. Todos os fãs de sua página amam tanto sua marca a ponto de comprar algo por causa de um post? Não generalize. "Não somos manada", diz Dani ao ressaltar que se você um milhão de fãs, nem todos irão fazer negócio com seu cliente quando virem algo na rede social. A coordenadora da Flag explica que prefere entregar para menos pessoas, mas para as pessoas certas, do que enviar um conteúdo para todos os fãs que não dará resultado. "Tem que segmentar", completa.

4 – Desconfie do óbvio

No planejamento, explica Dani, também é preciso tomar cuidado com o óbvio. Ela cita o exemplo de quando atendeu Chivas. Inicialmente, a conversa com as mulheres da fanpage era proibida. O "óbvio" dizia que só os homens entendiam de whisky. Ledo engano que Dani ajudou a desmistificar e o cliente acabou triplicando suas vendas quando incluiu o sexo feminino no diálogo. "Cuidado com o que é muito óbvio. Muita gente constrói o planejamento achando que é óbvio", alerta.

5 – Sua marca é a melhor? Tem certeza?

Evite o discurso "a minha marca é a melhor". Se você faz isso, corre o risco de, por exemplo, algum internauta colar uma lista de reclamações do Reclame Aqui em seu post e te derrubar. "Eu tenho que fazer o público falar que eu sou melhor. Vou deixando esse cara contente a ponto que ele vira meu advogado".

6 – Fique de olho na concorrência

Fique atento aos seus concorrentes, mas não tente derrubá-los. O caso de Magazine Luiza e Ponto Frio é emblemático. O primeiro já tinha um público consolidado e um e-commerce poderosíssimo, o que fez o segundo mirar noutro público, mais jovem e impulsivo.

7 – Não seja megalomaníaco

Lembre-se que só a grande ideia não resolve mais. "É preciso saber o comportamento do consumidor, é preciso trabalhar dados", analisa. Sabendo com quem você vai falar, será mais fácil saber em qual canal fazer isso. "Você não precisa estar no Twitter necessariamente, nem no Facebook. Olhe pra sua marca e veja onde cabe", diz Dani. Antes de sair criando perfis por aí apenas porque acha conveniente, lembre-se que você, muito provavelmente, não terá "braço" para tocar cinco ou seis perfis em redes da maneira ideal.

8 – Contrate o embaixador certo

O plano é contratar um embaixador? Uma celebridade para falar de seu produto? Tome cuidado aí também. "O influenciador tem que ter legitimidade", alerta Dani. Um embaixador de marca tem que ter carisma, relevância e tem que ser usuário real de seu produto. Um exemplo recente? Que tal o alemão Podolski e sua presença nas mídias sociais durante a Copa? "Ele não jogou. Veio pra ser RP". Um exemplo sólido para conseguir engajamento.

9 – Agência: dialogue corretamente com o cliente

Quando for apresentar o cliente ao planejamento, lembre-se de falar a linguagem dele. Dani cita dois casos que exibem exatamente a importância do diálogo correto. O primeiro foi com Ronaldo, Fenômeno. Quando foi mostrar o planejamento para o ex-jogador, ela utilizou um campo de futebol onde cada rede social era um time. Já quando apresentou seu planejamento a um executivo da Cia das Letras que estava entrando no mercado digital "obrigado", fez com um livro. Isso mesmo, um livro. "A cada 10 planejamentos, um vai pra rua", enfatiza.

10 – Seja sincero com o cliente

Lembre-se também que o cliente tem que estar ciente dos riscos. "Nunca, jamais vou enganar meu cliente. Falo pra ele todos os riscos e falo pra ele os riscos que vale a pena correr", diz. É preciso transparência.


Fonte: ADNEWS
Fonte da imagem: Clique aqui

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More