É Preciso Parar de Pedir Desculpa Por Qualquer Besteira


Por Lucy Kellaway

Recentemente, Sheryl Sandberg nos deu uma lição perfeita de como não pedir desculpas. A executiva do Facebook declarou que a experiência que manipulou as emoções dos usuários do site foi "mal comunicada e pedimos desculpa por essa comunicação. Não tínhamos a intenção de incomodar vocês".

Isso foi ruim de quatro maneiras. Ela não assumiu pessoalmente a responsabilidade. Ela não pediu desculpa pela coisa em si. Seu "não tínhamos intenção de incomodar vocês" foi condescendente e uma mentira. A experiência foi elaborada especificamente para incomodar alguns usuários, ao mostrar a eles comentários negativos. Esse foi o ponto em questão.

Poucas semanas antes desse débil pedido de desculpa, Sheryl Sandberg esteve em Cannes, onde disse que as mulheres deveriam parar de se desculpar com tanta frequência. Ela exibiu o novo comercial feminista da Pantene, em que várias mulheres pedem desculpas sem fundamentos. "Me desculpe, posso fazer uma pergunta?", diziam. Sheryl parece ter levado o anúncio muito a sério. O ponto da peça não é que as mulheres devam se recusar a pedir desculpas por coisas grandes, mas parar de pedir desculpas por coisas não existentes.

Um pedido de desculpa desnecessário é uma chatice tanto para quem pede como para quem recebe - e as mulheres são mais culpadas disso que os homens. Segundo um estudo de psicólogos canadenses, o motivo de as mulheres pedirem desculpas o tempo todo é que elas se sentem erradas o tempo todo. Os dois sexos pedem desculpas de maneira igual por seus erros. A diferença é que as mulheres sentem que cometem erros com mais frequência.

Justo no momento em que estava em minha mesa contemplando esse estudo, o telefone tocou. Era alguém pedindo para eu participar de uma pesquisa idiota. "Desculpe, não posso ajudá-lo. Sinto muito", eu disse. Ao desligar o telefone, fiquei surpresa ao perceber que havia me desculpado duplamente, muito embora, ao contrário das constatações do estudo, eu não tivesse me sentido mal com aquilo. O que eu estava tentando dizer é: como você ousa me telefonar quando estou tentando trabalhar?

Suspeito que a grande maioria dos pedidos de desculpa no escritório, pelos dois sexos, não são sinceros. Eles são apenas um tique verbal irritante, que não faz falta. Para provar isso, pesquisei as 13 mil mensagens de e-mail que tenho arquivadas e constatei que a palavra "desculpe" aparece em 1.225 delas. É verdade que a maioria foi enviada por mulheres, mas isso porque elas estão na caixa de saída e, desse modo, foram escritas por mim.

Peço desculpas sem fim pela mesma coisa. "Desculpe por demorar a responder". "Desculpe pelo meu silêncio". Enquanto eu peço desculpa constantemente por estar atrasada, as mensagens em minha caixa de entrada pedem desculpas por terem sido enviadas. "Desculpe pela quantidade de e-mails". "Desculpe por entrar em contato de repente". Esses falsos arrependimentos tornam essas mensagens ainda mais indesejadas; e quando não respondo, elas são seguidas por um ainda mais irritante "desculpe a insistência", ou "desculpe mesmo o incômodo".

As pessoas não pedem desculpa apenas por enviarem e-mails, elas também gostam de fazer isso pelo tamanho do texto. "Desculpe a divagação", escrevem, ou "desculpe se a mensagem parece sucinta, é que estou digitando em um teclado muito pequeno". Esses pedidos de desculpa fazem você querer dizer: não divague. Ou: aprenda a usar seu iPhone.

Até mesmo os e-mails automáticos sempre vêm com um pedido de desculpas anexado: "Desculpe, estou fora do escritório no momento". Já me deparei com uma mensagem dizendo "sinto informar que sua mensagem não pôde ser entregue", e apesar da primeira pessoa do singular, a assinatura era "sistema de correio".

De todos os pedidos de desculpa relacionados a e-mails, o único que encontrei algum mérito foi o de alguém que clicou "responder tudo" por engano, enviando uma mensagem pessoal para todo mundo. Dado o embaraço, o pedido de desculpa foi um pouco conciso: "Desculpem pelo Cc em massa".

Poucas mensagens eram sobre coisas que exigiriam desculpas de verdade. A maioria delas era de mulheres, sendo que uma boa parte não deveria nem ter sido enviada. "Desculpe por não ter contribuído mais na reunião - estou tendo um dia péssimo!"

Menos sinceras foram desculpas que recebi de homens. As mensagens começam com "desculpe dizer isso, mas...", e no geral levam a algo ofensivo. Uma delas era formada por centenas de palavras de uma raiva descontrolada - à qual respondi com minha própria mensagem de desculpa que suspeito que Sheryl Sandberg teria gostado. "Caro senhor X. Sinto muito por não ter gostado de minha coluna."

A brevidade, a atenuação e a falta de sinceridade foram de uma agressividade passiva tão gloriosa que senti orgulho de mim mesma. Não houve nada de "menininha" naquela desculpa. Espero ter deixado claro para o leitor que eu não lamentava. Nem um pouco.


Fonte: Valor
Fonte da imagem: Clique aqui

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More