Dinheiro Não dá em Árvore

Marcos Luthero

Se as coisas não vão bem na sua vida financeira, é possível que haja algo errado com as suas crenças sobre dinheiro. Vivemos num mundo de causa e efeito em que saúde é resultado, doença é resultado, seu peso é resultado, riqueza é resultado. Daí conclui-se que a falta de dinheiro também é um efeito que tem as suas causas. Segundo Robert G. Allen “nenhum pensamento mora de graça na cabeça de ninguém – todos eles são investimentos ou custos. Ou levam a pessoa na direção da felicidade e do sucesso ou a afastam dessas duas coisas – ou a fortalecem ou a enfraquecem”.

São os nossos velhos modos de pensar e de agir que nos conduziram à posição e situação em que nos encontramos hoje. Para Josh Billings “não é o que não sabemos que nos impede de vencer – o nosso maior obstáculo é justamente o que já sabemos”. É bem possível que nossos pensamentos nos empurrem para longe de uma vida de conforto e prosperidade. Para poder crescer, muitas e muitas vezes é mais difícil desaprender do que aprender coisas novas; em outras palavras, é necessário abrir mão de velhos conceitos e preconceitos e passar a adotar novas opções se não estamos obtendo o resultado desejado.

Na lavoura, pomares e jardins, o que está embaixo da terra gera o que está na superfície. Se quisermos mudar os frutos, primeiro temos de trocar as raízes. Para se alterar o que está visível, primeiro temos de modificar o que está invisível. Se o modelo financeiro que existe no subconsciente não estiver programado para o sucesso, nada que se aprenda, saiba ou faça será relevante.

O modelo de dinheiro de uma pessoa é a sua programação ou o seu modo de ser preestabelecido com relação às finanças. O modelo financeiro da pessoa consiste numa combinação dos seus pensamentos, sentimentos e ações em questão de dinheiro. Todos nós em algum momento de nossa infância, sem saber, instalamos uma espécie de termostato em nosso inconsciente sobre dinheiro. Notamos isso com o que ocorreu com um grande número de ganhadores em loterias que voltaram em pouco tempo a ser pobres novamente. Observamos o mesmo fenômeno com ricos que perderam tudo e em pouco tempo voltaram a ser mais ricos do que eram.

Quando o subconsciente tem que optar entre a lógica e as emoções plantadas na mente durante a infância, as emoções quase sempre vencem. Algumas das crenças instaladas na mente sobre dinheiro que constituem obstáculos para uma vida de abundância e prosperidade são:

– “Dinheiro não traz felicidade”.

– “Ricos são desonestos”.

– “Ricos são criminosos”.

– “Dinheiro é sujo”.

– “Ricos são gananciosos. Eles lucram com o suor dos pobres”.

– “Os ricos vão para o inferno”.

– “Dinheiro não nasce em árvore”.

– “Você tem que dar duro para ganhar dinheiro”.

– “Os ricos ficam cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres”.

– “Nem todo mundo pode ser rico”.

– “Isto não é para o nosso bico”.

– “Não temos dinheiro para isto”.

– “A gente tem que ter o suficiente para viver, mais do que isto é cobiça”.

Portanto, se você tem enraizado em sua cabeça crenças semelhantes sobre dinheiro, precisa reformulá-las antes de entrar na autopista de alta velocidade em direção à riqueza, porque os seus rendimentos só crescem na mesma medida em que você cresce!

Marcos Luthero é Consultor, Coaching e Palestrante do Instituto Tecnológico de Negócios, nas áreas Financeira, Mercadológica, Planejamento Estratégico e Planos de Negócio. E-mail: itn@sinos.net. Novo Hamburgo – RS.
Fonte da imagem: Clique aqui

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More