Por Que Empreendedor é Também um Pouco Herói

Millor Machado, sócio-fundador da rede social Empreendemia, afirma que todo empreendedor também é um herói 

Por Camila Lam (Escrito por Millor Machado, sócio-fundador da rede social Empreendemia)

Uma coisa engraçada que gira em torno do empreendedorismo é a ideia do empreendedor como herói invencível, que luta contra tudo e todos e sempre sai vitorioso, independente de quão difícil seja a situação. A grande questão é que mesmo os heróis passam por momentos de decepção, em que sua motivação é posta à prova e ele fica pensando se realmente vale a pena seguir em frente.

Se você parar pra pensar, verá que toda história de herói, desde a mitologia grega até a trilogia Guerra nas Estrelas, usa uma estrutura mais ou menos assim:

1. Vida normal

Para criar uma empatia com o público, o herói é mostrado como uma pessoa com tarefas corriqueiras. Mesmo no caso do Super-Homem, que possui super poderes desde bebê, os filmes sempre mostram sua vida de adolescente, descobrindo aos poucos como lidar com o fato de ser diferente.

2. O chamado

Seja motivado por um mentor (Karate Kid) ou para proteger o seu povo de um mal terrível (Batman), o herói sempre, eu disse sempre, passa por algum tipo de momento mágico em que ele compreende que ser alguém maior e isso o faz iniciar essa jornada.

3. A entrada em um mundo especial

No início, tudo é mágico e o herói fica deslumbrado com suas novas habilidades. Ele finalmente está se diferenciando das pessoas comuns. O maior exemplo dessa fase é quando Neo (Matrix) é inserido na simulação de luta em Matrix.

4. A provação

Por mais que nesse momento o herói tenha novas habilidades e seja diferente das outras pessoas, ele não pode chegar e já querer sentar na janela. Sempre haverá alguém que estava lá primeiro e possui maior domínio sobre aquelas habilidades.

Infelizmente, essa pessoa é o vilão e isso faz com que o herói se sinta muito mal por ter perdido. Quem não se lembra da tristeza do Homem Aranha quando o Duende Verde sequestra sua tia e ele não consegue impedir?

5. Fortalecimento e vitória

Depois da derrota traumatizante, o herói decide que seu treinamento inicial não foi o suficiente e então ele passa a treinar de maneira mais intensa. Eis que então ele enfrenta seu inimigo mais uma vez e, depois de uma épica batalha, finalmente sai vitorioso. No caso de Rocky Balboa, esse é o momento em que ele ganha seu cinturão de campeão dos pesos pesados.

6. Retorno triunfal

Agora que o herói já se consagrou, ela volta para sua terra natal e comemora sua vitória com os entes queridos. Um exemplo típico dessa etapa é o final das novelas da Globo, em que sempre tem uma grande festa de casamento depois que os vilões já estão fora de atividade. É o famoso “e viveram felizes para sempre”.

Provavelmente esse é o momento em que você está se perguntando “Mas o que isso tem a ver com empreendedorismo?!?”. Então eu te digo: tudo! Desde o início em que o empreendedor tem um trabalho comum e recebe o chamado para decidir começar sua empresa até os momentos de dificuldade superados de forma dramática, a saga do empreendedor é muito parecida com a jornada do herói.

A principal diferença é que ao invés do “Retorno triunfal”, que marca o final da jornada do herói, o empreendedor normalmente reinicia o ciclo, partindo para um próximo passo, seja através de um novo produto ou de mais uma empresa que ele decidiu iniciar.

Ou seja, caso você esteja iniciando sua jornada empreendedora, essas etapas te darão uma boa noção de como será daqui pra frente. Se você está no meio da sua provação e está pensando em desistir, o mais importante é lembrar de qual foi o seu chamado, que é o motivo para tudo isso. Além disso, saiba que esse processo te tornará mais forte e cada mais próximo da vitória. O que importa é: se você é um empreendedor, você é um herói.


Fonte da imagem: Clique aqui

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More