Empreendedorismo Feminino em Alta


Mulher brasileira é a que mais empreende em todo o mundo


No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, o Sebrae lançou a nova edição do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios (PSMN) que irá premiar relatos de mulheres empreendedoras. O objetivo é reconhecer mulheres donas do seu negócio (micro, pequeno, autônoma ou participante de negócios coletivos).


Para 2012, a expectativa é de forte concorrência, tendo em vista que em 2011 o Brasil tornou-se referência mundial em empreendedorismo feminino.

Em 2011, a Grant Thorton, uma das principais organizações mundiais na área da consultoria e auditoria, constatou que a mulher brasileira é a que mais empreende em todo o mundo. Esses dados são resultado de uma pesquisa com 11 mil empresas em 39 economias – que computam aqui no Brasil 12% de taxa de empreendedoras contra uma média mundial de 4%.

O setor de prestação de serviços tem a maior presença de empreendedoras, nos quais são priorizados o contato humano e a prática social. Facilmente constatamos isso nos serviços ligados à beleza. Os salões de beleza crescem a cada dia, com franquias mais acessíveis e voltadas para os estabelecimentos de rua.


Cases de Mulheres Empreendedoras

Mas, o que leva uma mulher a empreender? Conheço duas mulheres muito próximas a mim que são  empreendedoras. Minha mãe, uma mulher de 52 anos com muita experiência em ser dona de casa, há um ano, por questões pessoais, teve de assumir os negócios da família, embora não tenha conhecimento específico, tratou de se cercar de profissionais com experiência. Outra mulher motivada pelo apelo familiar foi minha sogra, também com a mesma idade. Há 20 e poucos anos, precisava comprar uniforme para os filhos e não tinha dinheiro. Como era uma boa costureira, ela mesmo o confeccionou e, hoje, é dona de uma das lojas referência em uniforme de Curitiba.

Eu mesma sempre sonhei em ser uma empreendedora, motivada pelo sonho de ajudar outras mulheres que precisam ajudar a renda das suas famílias, ou que estejam dispostas em investir nelas mesmas e com isso mudar de vida. Muitas ideias já passaram pela minha cabeça e como sou uma profissional da área de marketing, confesso que sempre estou antenada às tendências do mercado feminino. Mas, para todo sonho é preciso de planejamento estratégico, empreender deve ser feito com responsabilidade para que se torne realidade e um negócio de sucesso.


Núcleo da Mulher Empreendedora da Acibalc

Em março, tive a oportunidade de participar do jantar de mudança de coordenadores do Núcleos de Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú. Conheci o trabalho do Núcleo da Mulher Empreendedora da ACIBALC – NUMEA, criado desde 2003, voltado para empresárias, profissionais liberais, gerentes de empresas e autônomas.

clique na figura para amplia-la 

A essência do NUMEA é valorizar a capacidade empreendedora da mulher, além de investir na formação
de novas parcerias e lideranças e na capacitação. O jantar marcou a assinatura do contrato com a Dtcom
para a oferta de cursos online para todos os Núcleos da ACIBALC, por meio do Portal Competência – Cursos Online.


Laila Sol e Silva - Formada em relações públicas (UFPR), pós-graduada em Comunicação Empresarial (PUC-PR), com MBA em Marketing Integrado (Universidade Positivo). Atua na Dtcom há 4 anos, atualmente é gerente de Marketing e da Central de Relacionamento com o Cliente (CRC).
Fonte: Revista Competência - Abril/Maio 2012 | Ano 7 | n°71






0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More