Série SEU NEGÓCIO - Microfranquias: as Vantagens e os Desafios

Tudo é muito tentador e promissor, entretanto, antes de embarcar neste mercado é necessário prestar atenção em alguns detalhes básicos

Por Nadia Korosue

Qual empreendedor não sonha em ter um negócio com alto potencial de retorno e baixo investimento? O mercado de franquias vem apostando e dando cada vez mais foco em um modelo de negócio que aplica conceitos e princípios básicos das franquias tradicionais e que gera oportunidade para aqueles que possuem baixo investimento inicial: as microfranquias.

Segundo a definição da Associação Brasileira de Franchising (ABF), as microfranquias são as opções com investimento inicial de até R$ 80 mil, ou seja, negócios que correspondem por três vezes o PIB per capita no Brasil, que está aproximadamente em US$ 12,5 mil. O setor cresceu em 2012, 22% em relação ao ano de 2011, crescendo de R$ 3,7 bilhões para R$ 4,5 bilhões. Em número de redes, saltou de 336 para 368 e em unidades, de 12.561 para 13.352, representando uma expansão de 6%.

A atratividade deste modelo é grande, pois além da grande maioria propor um faturamento médio mensal de até R$ 30 mil aos seus franqueados, geralmente são negócios bem estruturados, de fácil implantação e operação. Algumas microfranquias demandam pouca mão de obra ou não exigem em curto prazo de um ponto comercial e, consequentemente, possuem forte potencial de expansão da marca.

A avaliação da ABF é de que a expansão das microfranquias se deve ao aumento expressivo da classe C e do aquecimento da economia doméstica. Por todos estes motivos, o setor tem crescido em um ritmo muito acelerado e essa tendência deve continuar, formalizando cada vez mais negócios de pequeno porte.

Atualmente elas já devem representar aproximadamente 5% do faturamento total do setor de franquias, sendo as áreas de atuação mais comuns às de serviços de limpeza e manutenção do lar, cuidados com idosos e animais de estimação, beleza, estética, turismo e aulas particulares.

Tudo é muito tentador e promissor, entretanto, antes de embarcar neste mercado é necessário prestar atenção em alguns detalhes básicos para atender as expectativas e obter resultados satisfatórios. Primeiramente, é essencial confirmar se o seu perfil está de acordo com o modelo de negócio. As empresas franqueadoras de microfranquias, em geral, procuram franqueados que possam: se dedicar integralmente, sejam organizados, disciplinados, comunicativos, tenham uma boa rede de relacionamento e que tenham automotivação.

O segundo passo é selecionar um negócio de sua área de interesse e avaliar a sinergia de princípios e valores. Por fim, e não menos importante, certificar-se da veracidade dos valores divulgados, do histórico da empresa, dos fatores essenciais para viabilidade da microfranquia no mercado da região definida e do capital de giro necessário.

Por serem muito visadas, muitas empresas em processo de formatação buscam transformar o seu modelo em microfranquias deixando muitas vezes de considerar no investimento inicial alguns valores primordiais como, por exemplo, o ponto de venda, aquisição de materiais específicos e taxas adicionais. Assim, o investimento inicial costuma ser bem diferente e acima do previsto.

É de extrema importância confirmar se as premissas apresentadas sejam realistas, viáveis, e que os objetivos sejam alcançáveis para diminuir a probabilidade de surpresas desagradáveis. Apesar de o investimento inicial ser baixo, as microfranquias não estão ausentes dos riscos de qualquer negócio.

Outro ponto é atentar se as reservas disponíveis são suficientes para cobrir as despesas até a unidade dar lucro. É importante lembrar também que como todo empreendimento, o retorno do investimento geralmente não é de curto prazo, e nas microfranquias não é diferente, podendo variar em média de 18 a 24 meses.

Por todos estes desafios, antes de entrar no mundo das microfranquias, procure informações detalhadas do negócio, converse com outros franqueados da rede, veja o nível de satisfação deles, analise com cautela as projeções financeiras e as cláusulas contratuais, e, se ainda assim não se sentir confortável, procure especialistas para ajudar a esclarecer as dúvidas. Há diversas instituições e consultorias especializadas como a ABF e o Sebrae, por exemplo, que visam orientar e capacitar os empreendedores que desejam investir nesse modelo para tomar uma decisão mais assertiva.

Nadia Korosue é administradora de empresas, especialista em projetos, sócia da GOAKIRA Consultoria.


Fonte da imagem: Clique aqui

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More