Empresas Com Funcionários Felizes São Mais Lucrativas, Garante Investidor

Em 2005, Jerome Dodson resolveu criar um fundo que investe apenas em empresas que tenham ambientes de trabalho acolhedor e foi bem-sucedido na empreitada

Uma matéria publicada na Fast Company, escrita pelo jornalista Mark Crowley, chamou atenção para uma constatação que pode interessar às empresas brasileiras: organizações gentis com seus funcionários apresentam um crescimento melhor que as outras.

Enquanto muitas pessoas ainda não aceitam que seja uma boa ideia permitir que os funcionários, por exemplo, joguem videogame no horário de trabalho e acreditem que manter as pessoas sob constante pressão é o caminho para a produtividade, o investidor Jerome Dodson resolveu apostar em empresas que valorizam a felicidade dos seus funcionários.

Em 2005, Dodson, criador da Parnassus Mutual Funds, dos EUA, resolveu criar um fundo que investe apenas em empresas que tenham ambientes de trabalho acolhedores. “A ideia de criar esse fundo surgiu a partir de um jornalista chamado Milton Moskowitz”, lembra Dodson. Em 1998, Moskowitz supervisionou a produção da primeira lista das “Melhores empresas para se trabalhar” (publicada anualmente). O jornalista lhe contou sobre a experiência bem sucedida de um fundo de investimentos que resolveu apostar nas empresas que apareceram no ranking e foi bem sucedida. Após certa resistência, Dodson aceitou a ideia e sua companhia investiu 600 mil dólares nessas companhias.

Tratar bem as pessoas funciona

Segundo o texto, Dodson continou investindo em empresas que construíram uma reputação de tratar bem seus funcionários. Elas deviam acompanhar o crescimento da equipe desde o treinamento ao desenvolvimento pessoal. “Firmas que cuidam de seus funcionários como pessoas e não como mão-de-obra”, afirma Dodson.

Outro critério importante na seleção das empresas foi a maneira com que elas fazem a divisão dos lucros: seguro de saúde, aposentadoria e o apoio dado às mães. A Parnassus provou obter lucro apostando nessas empresas. “Oito anos depois, o desempenho do fundo confirma tudo em que acredito: tratar as pessoas bem e respeitá-las melhora a performance delas no trabalho, nós comprovamos”, ressalta Dodson.

Durante os últimos cinco anos de recessão, o retorno da Parnassus foi de 10,81% contra 3.97%, do S&P Index, outro fundo de investimento tradicional nos EUA. Dodson acredita que essa diferença ocorre por que em momentos de dificuldades as pessoas que estão felizes com seu ambiente de trabalho se unem e se esforçam mais.

Quando publicado, em 1997, o primeiro ranking das melhores empresas para se trabalhar foi considerado um “concurso de beleza”. Mas Dodson e Moskowitz conseguiram provar que os líderes que valorizam, apóiam e desenvolvem seus funcionários são bem recompensados. 


Fonte da imagem: clique aqui

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More