Série ETIQUETA PROFISSIONAL - 10 Tipos de Funcionários Difíceis – e Como Gerenciá-los

A principal tarefa de um gestor é lidar com gente de todo o tipo – e nem sempre isso é fácil

Qualquer que seja o tamanho, estilo ou setor de atuação, se há um desafio comum a todas as companhias é o de lidar e extrair o melhor das pessoas sempre. Que há alguns funcionários mais irritantes que outro, sim, sem dúvida – o importante é saber como colocá-los nos trilhos a seu favor. O site Inc.com fez uma lista dos dez tipos de colaboradores mais difíceis, com conselhos de como gerenciá-los da melhor maneira. Veja a seguir: 

O competitivo

Não importa quanto esforço seja necessário, quantas horas trabalhadas, quantas ideias roubadas, quantas pessoas machucadas pelo caminho, o competitivo não vai parar de seguir a meta de vencer até que esteja completamente convencido disso e, principalmente, até que consiga comprovar que alguém perdeu.

Como lidar: Tire o foco dele e coloque no time para que ele possa entender que o que vale é o trabalho em equipe. Se for possível dar um incentivo prático para isso, por meio de algum tipo de premiação, melhor ainda. Ele fará de tudo para todos conquistarem o melhor e não apenas ele mesmo – e terá que dividir a glória por isso. 

O indeciso

Ele leva dias para tomar uma decisão até que, finalmente, quando chega numa conclusão... resolve revisá-la novamente. E de novo. E mais uma vez. É por isso mesmo que, se alguma coisa dá errado a partir de uma decisão dele, a resposta indignada sempre é: "não é minha culpa!"

Como lidar: Estabeleça um prazo para que ele possa tomar qualquer decisão e uma resolução alternativa, caso nenhuma solução seja definida até a data limite (essa será, sem discussão, a escolhida se nenhuma outra for apresentada por ele). 

O rei do drama

O assunto pode ser qualquer um, desde o que você fez no final de semana até como você pretende chegar nesse objetivo. Não importa: ele sempre terá um chilique ou fará alguma lamentação sobre a extrema dificuldade de conseguir tal coisa. O difícil é que, a partir disso, a energia das pessoas ao redor dele se esvai aos poucos com toda novela mexicana que se instala a partir das suas conversas e posturas.

Como lidar: Estabeleça limites para esse comportamento, amenizando ou extinguindo a postura dramática de vez, por meio de conversas e até indicação de como trabalhar isso melhor junto aos Recursos Humanos. Expulse-o de uma reunião, se o comportamento dramalhão dele estiver atrapalhando bem mais que ajudando a todos. 

O gênio criativo

Ele é uma lenda em sua própria mente ... e está certo de que na mente de todos que o cercam também. Está sempre falando sobre as coisas incríveis que ele fez no passado e sobre seus projetos igualmente surpreendentes para o futuro. Ainda assim, é raro ele fazer alguma coisa muito proveitosa hoje.

Como lidar: Faça alguns elogios a ele sobre a sua grandeza profissional, mesmo que seja da boca para fora no início, para depois poder trazê-lo de volta à Terra, onde ele terá que trabalhar bastante. Dê a ele um projeto dividido em várias etapas para que ele possa realizar cada uma delas de acordo com a sua orientação, com segurança e clareza dentro do prazo estabelecido. 

O questionador

Ele segue a linha rebelde sem causa – mas ele não é seu filho e, sim, funcionário. Não gosta de gravatas, nem de ambientes formais demais. Perde prazos apenas para provar que não tem que seguir as regras e ainda reivindica mudanças sem saber exatamente quais mudanças essas implicarão.

Como lidar: Direcione os questionamentos dele para o lugar certo. Estranhamente, esses tipos de pessoas costumam se sair muito bem como "defensores do cliente", que pode assumir a burocracia, a fim de providenciar que os clientes obtenham o que necessitam.

O detalhista

Ele está sempre pronto para dar uma apresentação - e normalmente é uma que você já viu antes, mas ok, você arruma paciência para ouvi-lo novamente. Para não deixar nenhuma, nenhuma, nenhuma dúvida mesmo sequer, ele lista cada ponto de cada etapa de cada processo para que você saiba exatamente do que ele está falando. E lê todas, sempre que acha espaço para falar do assunto.

Como lidar: Deixe claro que você tem uma série de reuniões e compromissos e que estabeleceu um tempo para conversar com ele. Melhor ainda, peça para que ele esqueça o "PowerPoint" para aproveitar melhor o tempo determinado para as reuniões e, claro, entenda que não pode deixar de cumprir o horário. 

O bomba-relógio

Ele explode quando as coisas não correm do jeito que ele acha que deveria correr. Grita em reuniões, grita ao telefone e, desavisado, grita até com quem não conhece direito. Embora ele possa se desculpar mais tarde, toda a equipe acaba perpetuamente pisando em ovos, seja de susto, seja de medo.

Como lidar: Levante sua comando (ou você não será ouvido), e depois se recuse a compartilhar do seu comportamento pouco profissional. Se necessário, saia da sala até que ele se acalme.

O procrastinador

Ele diz que consegue sim dar conta de seus projetos, mas não consegue saber como colocá-los em prática na maioria das vezes. Com a aproximação dos prazos, ele some e você não consegue encontrá-lo, nem mesmo via e-mail. Quando o trabalho é finalmente concluído (muitas vezes por outras pessoas que tiveram de se apressar para resolver as coisas em seu lugar), ele tira uma miniférias para "se recuperar do estresse."

Como lidar: Infelizmente, a única solução aqui é um pouco de gestão à moda antiga. Estabeleça metas e prazos apertados e o cobre isso pessoalmente – sem se esquecer de deixar claro quais serão as consequências caso as tarefas não sejam cumpridas. 

O popular - na web

Ele está convencido de que é produtivo permanecer on-line todos os dias para construir relações com todos os seus clientes – e com contatos em geral fora do trabalho – nas redes sociais.

Como lidar: Atribua a ele metas mensuráveis - como um certo número de vendas e metas qualificadas que ele tem de atualizar a cada semana. 

O botão de pânico

Algumas pessoas realmente conseguem brilhar em uma crise. Outras ... longe disso. Esse cara se mantém calmo por dias e semanas até que, quando um problema chega a um ponto inevitável, ele corre por aí como uma galinha desesperada.

Como lidar: Criar um sistema de alerta de modo que surjam menos surpresas. E substitua o café regular pelo descafeinado nos dias de más notícias.


Fonte da imagem: gettyimages

1 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More