Felicidade e Competência Não se Terceiriza

por Soeli de Oliveira

A terceirização se revela como uma das alternativas para se obter uma maior produtividade quando o objetivo é produzir mais com menos. Porém, quando o propósito é ser mais feliz ou aumentar a competência, a terceirização parece não ser o melhor caminho. A felicidade e a competência começam dentro de nós e são atributos de nossa inteira responsabilidade.

A altitude que um indivíduo poderá alcançar é diretamente proporcional à sua atitude. A grandeza humana está em assumir e não em “sumir” da responsabilidade por seus erros e fracassos. Grandes realizações estão reservadas para as pessoas de ação; elas não permitem que a ‘paralisia’ das desculpas e do medo as dominem, e se permitem errar e aprender com seus erros com a certeza de que eles não existem, existem apenas resultados.

A construção de todos os nossos recursos mentais e físicos é feita a partir de imagens mentais, diálogos internos, sensações e sentimentos. O sucesso começa em sua atitude. Outras pessoas e as circunstâncias só
produzem em nós o que permitimos. Dez por cento de nossas mazelas são produtos do que nos acontece, os noventa por cento restantes são produtos de nossa interpretação dos fatos. A ‘síndrome do coitadinho’ e
a autopiedade podem servir muito bem para chamar a atenção de outras pessoas, porém, o seu custo é a perda da autoconfiança, autorrespeito e do respeito dos que nos cercam.

O ser humano é como um computador que veio ao mundo sem o manual de usuário. Aprende-se novos comportamentos e apreende-se novos conhecimentos, observando, experimentando e modelando comportamentos bem sucedidos. A vida é curta para aprendermos somente através de nossas tentativas, erros e acertos. É sábio aprender a partir das experiências alheias.

O tempo vale mais do que o dinheiro. Valer-se de consultores, mentores e coaching, é um excelente atalho para a prosperidade. As ciências se multiplicaram neste último século de tal maneira que conhecimento e experiência, que outrora eram recursos caros e escassos, tornaram-se abundantes e relativamente baratos. Se você ainda os acha caros, com certeza ainda desconhece o quanto valem.

A intensidade de nossa vontade é o que determina até aonde podemos chegar. A ação é proporcional ao quanto desejamos o sucesso. Nosso cérebro é um mecanismo cibernético na busca de objetivos. Segundo a Wikipédia: “a cibernética é a ciência da comunicação e do controle, seja nos seres vivos, ou seja nas máquinas. A comunicação é que torna os sistemas integrados e coerentes, e o controle é que regula o seu comportamento”.

Defina seu estágio atual, os problemas que está enfrentando, as dificuldades e insatisfações, e o estado desejado. Também pense sobre onde estará e como estará se sentindo quando alcançar os seus objetivos.

É um passo muito importante para a sua vitória, escrever as suas metas e lê-las três vezes ao dia, antes do café da manhã, antes do almoço e antes de dormir, acrescidas das palavras: “Eu quero!” (ação),“Eu posso!” (habilidades) “Eu mereço!”, “Eu me permito!” (crenças). Seus limites são determinados pelas suas crenças. Se você acredita que é capaz de fazer alguma coisa ou que não é capaz, em qualquer caso está certo.

Soeli de Oliveira é consultora e palestrante do Instituto Tecnológico de Negócios, nas áreas de marketing, varejo, atendimento e motivação, e-mail: soeli@sinos.net – Novo Hamburgo – RS.
Fonte da imagem: gettyimages

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More