Primeiro Dia De Trabalho: Como Causar Uma Boa Impressão?

Angelica Kernchen

O profissional passou por todas as fases de um processo seletivo e conseguiu o tão almejado emprego. Mas agora, as dúvidas começam surgir... Como agir? Alguma preparação diferente deve ser feita para começar bem no primeiro dia? Deve-se procurar conhecer a empresa, pesquisar sobre ela?

O saber popular diz que a primeira impressão é a que fica. E a verdade é que essa premissa também é válida para o primeiro dia de trabalho. Um novo funcionário deve ter a preocupação em causar uma impressão positiva, mas deve ter em mente também que terá oportunidades de mostrar quem ele é, suas habilidades e capacidades durante todo o tempo em que estiver trabalhando nesta empresa, o que causará outras impressões mais ou tão importantes quanto a primeira. Procurar se sair bem é preciso, mas isto não deve ser motivo de preocupação em demasia, já que nem sempre é possível agradar a todos.

Sim, o início em uma nova empresa sempre é motivo de ansiedade, tanto para o novo empregado quanto para os colaboradores que já estão lá. Mas isso é perfeitamente normal, dizem os especialistas.

“Considero normal certa tensão no primeiro dia de um novo trabalho de qualquer pessoa, afinal, trata-se de uma situação nova, desconhecida e as pessoas realmente têm medo do desconhecido, mesmo sabendo que a mudança poderá ser para melhor. Sugiro aos iniciantes que tentem relaxar e sejam autênticos. Nada de excessos (camaradagem, entusiasmo ou mesmo interação com os novos colegas). É natural querer impressionar o chefe e os colegas, mas não se deve forçar a barra ou fazer promessas que não se pode cumprir, do contrário este comportamento tende a reverter negativamente para o novo profissional”, diz Reinaldo Silvestre da Silva Júnior, sócio-proprietário da empresa ZAP Trade (prestadora de serviço de TI) e consultor especialista em TI-GED, planejamento e gestão estratégica.

Ainda segundo ele, a ansiedade do primeiro dia de trabalho pode se tornar negativa quando ela impede o profissional de interagir ou mesmo de prestar a devida atenção na função a ser desempenhada. “A ansiedade, principalmente em ser aceito e em causar uma excelente impressão, podem atuar em detrimento do mais importante, o desempenho... e para ter um desempenho adequado é preciso estar em sintonia com as habilidades e conhecimentos que a função requer”, informa.

Mas é possível amenizar esta tensão: basta lembrar que este é apenas o primeiro dia de muitos que virão, e é preciso dar tempo ao tempo. “Um novo relacionamento está começando, e não é no primeiro dia que todos se conhecerão com profundidade ou que se formarão opiniões definitivas e consistentes. Enfatizo que o melhor é ser autêntico, assim as pessoas terão uma melhor oportunidade de estabelecer relações saudáveis. Minha dica para controlar esta ansiedade consiste em um exercício bem simples: antes de sair de casa, imagine como você quer que seja seu dia, sinta-se bem recebido e crie mentalmente uma atmosfera agradável. Quando o expediente começar de verdade, se você ainda se sentir tenso, discretamente, feche os olhos, respire fundo e tente sentir aquela atmosfera imaginada. Isto, com certeza, o ajudará a se acalmar”, complementa Reinaldo.

Uma boa estratégia é travar diálogos claros e abertos com parceiros, pois, segundo Jonas Kaffka, diretor da Holden Consultoria e RH, independente de qualquer situação, esse tipo de atitude demonstra interesse em conhecer o trabalho, as pessoas e a empresa. E isto é sempre bem visto. “Além disso, manter sempre o equilíbrio, mostrar-se humilde e competente ao que se é designado a executar são boas estratégias caso seja verificada alguma resistência de colegas com a chegada de um novo funcionário”, complementa Jonas.

O sentimento de ‘peixe fora d’água’ também é muito natural, porém, convém atentar-se para o fato de que ele é passageiro. Nem sempre as pessoas são empáticas, mas ingressar em novo emprego implica em estabelecer novos relacionamentos. “É preciso respeitar os espaços e não “pular” etapas. As pessoas irão interagir de maneira natural, e afinidades serão estabelecidas. Só não deixe que este sentimento, quando presente, atrapalhe seu desempenho profissional”, alerta Reinaldo.

Nesse quesito, trabalhar um pouco seu marketing pessoal pode ajudar a tornar as pessoas mais receptivas. Mas os especialistas no assunto alertam que, nesse sentido, todo cuidado é pouco, e o exagero pode depor contra você. Reinaldo nos diz que uma dura lição que aprendeu em sua carreira profissional, quando trabalhava em uma grande empresa do setor financeiro, está diretamente ligada a este assunto. “Eu não dava importância ao relacionamento interpessoal dentro da instituição como forma de me promover. Acreditava que apenas o resultado do meu trabalho falaria sempre por mim. Deixei de ser promovido algumas vezes por causa disto e, pior, não conseguia entender o real motivo. Na realidade, eu tinha uma falsa impressão de que quem cultivava relacionamentos com o ‘chefe do chefe’ na realidade era um grande “puxa saco” ou alguém que queria tomar o lugar do chefe direto, de forma leviana. Em verdade, isto era mais do que uma falsa impressão; era um preconceito meu. A duras penas aprendi que é extremamente saudável e necessário cultivar relacionamentos não só com as pessoas que convivem com você no dia-dia. É preciso que o resultado de seu trabalho chegue ao conhecimento das pessoas que fazem a diferença na hora da promoção ou que podem contribuir direta ou indiretamente para que isto aconteça. Não é preciso prejudicar ninguém pra se fazer isto, e conhecer estas pessoas, por mais que não seja um contato rotineiro, é imprescindível. Seu supervisor, seu diretor, seu superintendente e, claro, o cliente que você atende precisam saber quem você é e do que é capaz”, confessa.

E para aconselhar os profissionais em seu primeiro dia de trabalho, os especialistas dão as seguintes dicas: sim, procure causar uma primeira impressão positiva, mas não se preocupe tanto com isso. Seja bem humorado. Evite pequenos conflitos e aceite que você está em um momento de adaptação. Conheça as pessoas e permita que elas te conheçam. Seja disponível e acessível. Consiga o máximo de informações possíveis sobre o trabalho que irá executar e sobre a empresa em que vai trabalhar, mas vá além, procure saber também exatamente o que esperam de você como profissional. “Além de tudo isso, estabeleça objetivos e metas. Planeje-se, prepare-se e, acima de tudo, seja comprometido. As corporações precisam disto, de comprometimento, de gente que chame a responsabilidade e não que fuja dela. O problema não está em não saber, o problema está em não querer descobrir como se faz, em não ter o compromisso de descobrir e colocar em prática. Pense nisso!”, finaliza Reinaldo.

Fonte: Carreira & Sucesso

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More