Consultoria: Profissão de Presente e Futuro



No momento das difíceis decisões, profissionais desempenham papéis indispensáveis nas grandes empresas

Cada vez mais presente nas empresas, os serviços de consultoria caracterizam-se pela realização de diagnósticos e processos e têm o objetivo de identificar soluções e recomendar ações. Com esses dados, o consultor desenvolve, implanta e viabiliza um determinado projeto de acordo com a necessidade de cada cliente.

Vários motivos levam à contratação de um profissional para realizar um trabalho de consultoria. Quando são verificados problemas que demandam know-how específico, a organização necessita da presença de um consultor especialista. Há ainda certos trabalhos cujos funcionários possuem a capacidade para realizá-los, mas, em função das atividades rotineiras, não encontram tempo hábil para executá-los. Nestes casos, o consultor assume o projeto até que ele esteja pronto para ser incorporado.

Por outro lado, muitas empresas contratam profissionais que transmitam know-how ao pessoal interno e terceirizado para que os mesmos possam fazer o trabalho. O consultor fica responsável pelo treinamento de equipes em novas técnicas, repassa informações sobre novos produtos e depois presta assessoria complementar para implementação.

Outro fator é a necessidade de um parecer independente sobre determinado projeto ou procedimento da empresa. Nestes casos, o empresário busca minimizar as possibilidades de falhas no projeto, evitando gastos imprevistos.

Os consultores podem ainda ser contratados para trabalhar em conjunto com os executivos da organização para a avaliação de processos e/ou análise de dados estratégicos.

Etapas

Para Dino Mocsányi, empresário e consultor especializado em desenvolvimento de negócios, a consultoria não é uma profissão. "O consultor trabalha as mudanças organizacionais, como, por exemplo, alterações nos processos de trabalho, alterações em sistemas, mudanças comportamentais e outras. O campo de trabalho sempre é ligado a alguma alteração na empresa, na qual o consultor assessora e proporciona apoio técnico. Ele ainda possui uma experiência diversificada em projetos diferentes e companhias diversas", define.

Mocsányi segmenta a atividade de consultoria em sete momentos. O primeiro consiste na prospecção de mercado e marketing, seguido pelo contato com o cliente. O segundo momento baseia-se no entendimento da questão ou problema a ser resolvido pelo consultor e na elaboração do projeto. No terceiro momento estão o estabelecimento do contrato de trabalho com o cliente e a definição dos resultados a serem obtidos. A avaliação inicial detalhada e o estabelecimento do planejamento de trabalho fazem parte do quarto momento. O quinto, por sua vez, é marcado pela execução do plano, quando o cuidado maior é manter o escopo do trabalho, sem desviar do projeto inicial. O sexto momento é a avaliação de resultados, seguido pela sua finalização.

O empresário avalia que existem no mercado muitos profissionais “não-empregados” que passaram a atuar como consultores sem nenhum tipo de preparação. "Há uma extrema competição entre os que são e os que estão consultores, uma vez que os que estão realizam um trabalho inferior que acaba denegrindo o trabalho dos que são efetivamente consultores". Segundo ele, a consultoria na Europa e em outros países desenvolvidos é uma atividade extremamente comum. No Brasil, porém, esta tradição existe há apenas 20 anos. "Há um desconhecimento sobre como trabalhar com consultores, pois o hábito ainda está em evolução", analisa.

Uma boa consultoria levará em consideração as reais condições da empresa, do mercado e da conjuntura geral para atuar de forma efetiva e atingir os resultados esperados. Outro aspecto fundamental é a relação consultor vs. cliente, que exige confiança e responsabilidade mútuas.

Quando intervenções profundas nos processos, no foco ou na própria estrutura das organizações se mostram necessários, o consultor não deve hesitar. Ele deve se portar como um mensageiro, destacando questões não detectadas pela empresa ou ressaltando situações que eram acobertadas em função do receio de se alterar as estruturas. "O consultor é uma espécie de médico das empresas.

Mesmo que o paciente tenha uma doença séria, a função do médico é alertá-lo com relação ao problema, independentemente da sua gravidade".

Experiência

A atividade de consultora passou a fazer parte do seu currículo há exatos cinco anos. Sua experiência teve início na Teknisa, líder em segmentos de gestão, incluindo o Tecfood, software voltado especificamente para o mercado de refeições coletivas. Os sistemas da empresa estão implantados em cerca de 3.000 empresas, totalizando aproximadamente 15.000 sistemas comercializados. "O trabalho surgiu na própria Teknisa. Comecei a atuar na área de suporte e, em pouco tempo, passei a prestar consultoria. Com a ampliação dos serviços prestados, foram surgindo oportunidades e como eu já conhecia bastante as contas dos clientes da empresa, fiz alguns cursos de gerenciamento de projetos e comecei a prestar este serviço", revela a consultora de negócios da Teknisa, Juliana Diniz.

Enquanto consultora, ela desenvolve atividades principalmente na área de Gerenciamento de Projetos, na qual é trabalhada toda a parte comercial, administrativa e financeira. "Para que uma corporação atinja uma posição competitiva, é necessário que ela supere as expectativas de seus clientes, usando poucos recursos, mas usando-os eficientemente, gastando menos e mantendo o objetivo definido no projeto. A consultoria, através do gerenciamento de projetos, pode detectar e controlar essas limitações, fazendo com que a organização tenha mais controle sobre as mesmas", destaca. Ela cita os benefícios que uma organização pode obter com o gerenciamento de projetos: aumento da confiança e da segurança do empreendedor, melhor controle de projetos, melhor administração de mudanças e aumento da eficiência e eficácia.

A consultora ainda ressalta que o desafio para o gerenciamento de projetos é ajudar a organização a desenvolver uma consciência dos temas globais, bem como dos mecanismos para responder efetivamente a eles. "O gerenciamento e os gerentes de projetos são a chave para o crescimento e o sucesso organizacional", resume.

De acordo com ela, o Tecfood entra nas atividades de consultoria enquanto projeto. Normalmente, após a aquisição dos sistemas, o cliente necessita de um auxílio ou orientação para a implantação dos mesmos. Esta implantação torna-se um projeto e a consultoria passa a ser responsável pela condução do mesmo. "Este sistema executa o controle dos custos de produção, identificando desvios do planejamento e suas causas e é uma poderosa ferramenta para a monitoração e a redução de todos os custos envolvidos na produção. Possibilita também a realização de análises diferenciadas, comparando os custos planejados com os custos realizados", salienta. O programa ainda é fundamental para a visão da viabilidade das refeições, identificando os pontos de desvio e as causas dos erros de execução.

Fonte:
Publicado na mídia
Esta entrevista foi publicada na revista Foodservice News, edição No. 11, e pode também ser encontrada no site www.foodservicenews.com.br

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

Envie para sua rede

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More